Público salva competidor do Big Brother português após fala homofóbica e gera polêmica

Público poupa participante homofóbico no 'Big Brother Portugal' (reprodução / TVI)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A polêmica decisão do Big Brother português de deixar ao público a decisão de expulsão um competidor após falas homofóbicas acabou provocando ainda mais polêmica. Isso porque o competidor Hélder, que havia feito os comentários, acabou ficando no programa, enquanto o participante Edmar, assumidamente gay, foi eliminado.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentários

A confusão teve início na semana passada, apenas um dia depois do início do reality, quando Hélder falou que prefere "ser mulherengo do que ser... gay", numa suposta referência a Edmar. A organização então decidiu abrir uma votação para definir se ele deveria deixar o programa devido ao comentário.

Leia também

Na ocasião, o reality afirmou aos participantes que a casa deve ser um reflexo da sociedade de uma forma positiva. "Como não posso deixar passar a sua atitude em branco, vou dar aos portugueses a oportunidade de decidir se querem que o Hélder permaneça no jogo ou que seja expulso".

Neste domingo (17), no entanto, veio o resultado: Hélder não só ficou no programa, como ganhou a prova do líder feita em seguida e conquistou a liderança da semana. Além disso, Edmar, que estava disputando a preferência do público com Noélia e Daniel Monteiro, foi eliminado.

"Mais uma vez a homofobia ganhou espaço na televisão portuguesa. homofobia é crime, não é escolha", opinou um internauta no Twitter. "É uma comédia. O povo critica Hélder por homofobia e expulsa a suposta vítima", comentou outro. "Portugal é um país homofóbico no geral", afirmou mais um.

Edmar, que chegou a comemorar a saída do reality, por estar cansado do confinamento, esteve em um programa da TVI, mesma emissora do Big Brother, nesta segunda (18), e afirmou estar arrependido de ter defendido Hélder e disse que deveria ter defendido a comunidade LGBTQ+, mas teve medo.



Edmar chegou a chorar durante o programa e disse que não entedia o que estava acontecendo quando apoiou Hélder e que tinha medo de falar mais sobre a comunidade gay dentro da casa e ser excluído pelos outros participantes. "Eu deveria ter sido mais forte", afirmou ele.