Síndrome do ovário policístico: os sintomas da doença que atinge Larissa Manoela

Concept polycystic ovary syndrome, PCOS. Paper art, awareness of PCOS, image of the female reproductive system
Ilustração que representa a síndrome do ovário policístico (Imagem: Getty Creative)

A atriz Larissa Manoela usou suas redes sociais ao fazer uma nova descoberta sobre sua saúde. A jovem de 21 anos, que em maio disse sofrer de endometriose, ao fazer novos exames recentemente, recebeu o diagnóstico de ovário policístico.

"Ontem através de um ultrassom detalhado eu descobri que além de endometriose, eu tenho também ovário policístico. Não é fácil ser mulher. O diagnóstico positivo assusta e confesso dar uma desestabilizada. Mas estou certa de que vou encontrar o melhor tratamento pra ambas as doenças", escreveu.

O que é a síndrome dos ovários policísticos?

A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é uma alteração hormonal comum que pode acontecer em mulheres em todas as idades, apesar de ser mais frequente no início da adolescência. Ela é caracterizada por alterações nos níveis de hormônios circulantes no sangue, o que acaba por favorecer a formação de diversos cistos no ovário, levando ao surgimento de sintomas como menstruação irregular e dificuldade para engravidar.

Quais são os sintomas?

Por conta do aumento dos níveis de hormônios masculinos no corpo da mulher, também podem surgir outros tipos de sintomas como o crescimento de pelos no rosto e corpo, além do surgimento de acnes. Queda de cabelos, aumento de oleosidade da pele, ganho de peso de forma não intencional e o atraso no desenvolvimento das mamas, também são sinais da síndrome. As manifestações podem variar de mulher para mulher e de acordo com as alterações hormonais.

Quais são as causas?

A síndrome dos ovários policísticos não possui uma causa bem definida, no entanto, acredita-se que pode ser favorecida pela interação de diversos fatores, como genética, metabolismo, resistência à insulina, alimentação inadequada e falta de prática de atividade física. O sobrepeso e a pré-diabetes também podem favorecer a SOP.

Como é realizado o tratamento?

Caso a mulher apresente ao menos dois sintomas da doença, é importante procurar o atendimento de um ginecologista para iniciar com prontidão o tratamento adequado que pode ser feito por meio de remédios para aliviar as manifestações, como pílula anticoncepcional, ou pode ser recomendado o uso de remédios para favorecer a gravidez.

Nos casos mais graves, quando há uma grande quantidade de cistos, aumentando o tamanho do ovário, pode ser recomendada a realização de cirurgia para retirar os cistos ou o ovário. Além disso, é importante que a mulher siga uma alimentação adequada que promova o bem-estar e que não favoreça alterações hormonais.

Em maio, Larissa Manoela já havia declarado que foi diagnosticada com endometriose. “Desde o meu primeiro ciclo, tinha um fluxo muito intenso, ficava muito indisposta, sentia dores a ponto de desmaiar. Quando fui fazer exames e acompanhamentos anuais, recebi o diagnóstico", afirma.

A doença, a mesma que acomete Anitta, e que fez a cantora se submeter a uma cirurgia, é causada por uma inflamação fora do normal de células do endométrio – tecido que reveste as paredes internas do útero, onde o óvulo se fixa quando fecundado para que o feto se desenvolva. O problema leva esse tecido a crescer para fora do útero, com fragmentos chegando ao ovário, às trompas e a outros órgãos da região. Porém, mesmo fora do útero, ele continua crescendo.