Oscar 2023 tem 'Marte Um' e 'A Viagem de Pedro' na disputa por vaga do Brasil

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Academia Brasileira de Cinema decidiu em reunião nesta terça-feira (30) quais são os seis longas pré-selecionados para tentar uma vaga brasileira na disputa pelo Oscar de melhor filme internacional no ano que vem.

São eles "Marte Um", de Gabriel Martins, "A Mãe", de Cristiano Burlan, "A Viagem de Pedro", de Laís Bodanzky, "Carvão", de Carolina Markowicz, "Pacificado", de Paxton Winters, e "Paloma", de Marcelo Gomes.

A comissão de seleção deste ano é composta por 25 membros que trabalham na indústria cinematográfica. Destes, 21 são eleitos em votação entre os sócios da academia e outros quatro são indicados pela diretoria, mas não são, necessariamente, associados à instituição.

Os nomes incluem os cineastas Jeferson De, Petra Costa e Zelito Viana, os atores Marcelo Serrado e Patricia Pillar, e figuras responsáveis por festivais de cinema nacionais, como Renata Almeida, da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, e João Federici, do Mix Brasil.

No dia 9 de setembro, a comissão vai anunciar qual dos seis filmes será o representante oficial do Brasil no Oscar. A decisão será encaminhada à Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.

Um grupo da instituição americana, então, se reunirá para escolher 15 longas entre os representantes de todos os países que tiverem se inscrito na categoria. Essa pré-lista, anunciada em 21 de dezembro, será submetida a uma nova votação, a partir da qual os cinco indicados serão selecionados. O anúncio oficial acontece em 24 de janeiro, junto com todas as outras categorias da premiação.

A 95ª cerimônia do Oscar está marcada para o dia 12 de março e deve acontecer, como de costume, no Teatro Dolby, em Los Angeles, Califórnia.

No ano passado, o escolhido para tentar uma vaga para o Brasil no Oscar foi "Deserto Particular", de Aly Muritiba, que acabou ficando de fora da lista. A última vez que o país foi indicado entre os filmes estrangeiros foi com "Central do Brasil", de 1998. Antes disso, só "O Pagador de Promessas", "O Quatrilho" e "O que É Isso, Companheiro?" já haviam chegado perto da estatueta da categoria.