Oscar 2021 tem show de aquecimento com estrelas cantando músicas da festa

LEONARDO SANCHEZ
·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Oscar ganhou um aquecimento além do tradicional tapete vermelho nesta sua 93ª edição, como cortesia da pandemia de Covid-19. Com transmissão na noite deste domingo, a cerimônia foi precedida por um "pré-show", como os organizadores a chamaram --uma rodada de performances musicais para apresentar os indicados a melhor canção original do prêmio deste ano. Normalmente, aqueles que fazem parte da categoria têm a chance de cantar ao vivo em meio à entrega das estatuetas, mas mudanças causadas pela pandemia fizeram com que os produtores Jesse Collins, Steven Soderbergh e Stacey Sher adiantassem o momento musical. O trio ainda quis cortar o tempo da festa, que vem perdendo audiência na TV. Leslie Odom Jr. apresenta a canção "Speak Now" no pré-show do Oscar Richard Harbaugh/A.M.P.A.S./Divulgação Oscar música **** Foram indicadas à categoria --e, portanto, fizeram parte do pré-show-- as canções de "Uma Noite em Miami", "Rosa e Momo", "Judas e o Messias Negro", "Os 7 de Chicago" e "Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars". Todas as performances foram gravadas com antecedência, sendo que as quatro primeiras tiveram como cenário o terraço do prédio que vai sediar o Academy Museum of Motion Pictures, o museu do Oscar, e a última, a cidade de Húsavík, na Islândia, onde a comédia da Netflix se passa. A escolha de cenário adicionou mais endereços aos vários que fazem parte da transmissão do Oscar deste ano. Por causa da pandemia, a cerimônia foi repensada, com transmissões a partir de Los Angeles e de cidades como Nova York, Londres e Paris. Alternando entre inglês e islandês, a cantora pop sueca Molly Sandén deu início ao pré-show do Oscar entoando "Húsavík", canção do filme "Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars", escrita por Max Grahn, Rickard Göransson e Savan Kotech. O clipe foi ilustrado pelas casinhas típicas e os barcos que formam a paisagem de Húsavík. Um coro de crianças e fogos de artifício acompanharam a cantora, aproximando o momento da cena em que a faixa aparece nas telas, a mais catártica, e séria, da comédia. Quase como uma estatueta, a cantora italiana Laura Pausini apareceu em seguida, num terninho dourado e brilhante, para cantar "Io Sì (Seen)", que está na trilha sonora de "Rosa e Momo". No piano estava a coautora Diane Warren, figurinha carimbada no Oscar com outras 11 indicações no currículo --todas frustradas. A performance foi emoldurada por uma grandiosa construção de vidro que fica no terraço do museu do Oscar, desenhado pelo arquiteto Renzo Piano. O sol se punha enquanto a balada era entoada e Pausini alternava entre o inglês e o italiano. Na lista de indicados, "Rosa e Momo" decepcionou por não assegurar uma segunda nomeação, a melhor atriz, para a lendária Sophia Loren. "Os 7 de Chicago" foi o próximo filme a ganhar os holofotes. A cantora Celeste apresentou "Hear My Voice", enquanto o coautor da faixa, Daniel Pemberton, a seguia no piano. "Speak Now" surgiu na sequência, cantada por Leslie Odom Jr. --indicado a melhor ator coadjuvante também por "Uma Noite em Miami". Ela foi escrita por ele em parceria com Sam Ashworth. A performance, intimista, foi rodeada pelas luzes da cidade de Los Angeles. A letra da faixa foi mais uma deste ano a embalar uma história sobre a luta pelos direitos civis. Fechando o show e também se debruçando sobre a luta antirracista, "Fight For You", de "Judas e o Messias Negro", foi apresentada pela vencedora do Grammy H.E.R., que a compôs com D'Mile e Tiara Thomas. O esquenta foi sucedido pelo início da cerimônia do Oscar, que premia os melhores de um ano atípico para o cinema.