Morte da irmã, abuso de drogas e perfil pornográfico: os últimos anos de Aaron Carter

Cantor e produtor Aaron Carter se apresenta no
Performance de Aaron Carter em Las Vegas, Nevada, fevereiro de 2022 (Foto: Gabe Ginsberg/Getty Images)

Ex-ídolo teen e irmão de Nick Carter, integrante da boyband Backstreet Boys, Aaron Carter foi encontrado morto no sábado (5) em sua casa, em Lancaster, na Califórnia (EUA). O artista tinha 34 anos e, nos últimos anos, tinha dificuldade em manter a sua carreira, além de ter sofrido com diversos problemas familiares, que vão desde o abuso excessivo de drogas até a morte de sua irmã.

Abuso de substâncias

Ao longo de sua vida, Carter não escondeu seus problemas com abuso de substâncias e passou por várias internações. Segundo o The Hollywood Reporter, a última tentativa foi motivada para retomar a guarda filho, Prince.

Apesar de afirmar que, há alguns anos, já não usa mais drogas, o ex-ídolo teen assustou os seus fãs, que ligaram para a polícia, em setembro passado, achando que ele tivesse sofrido uma overdose. Na ocasião, a polícia constatou que o artista estava apenas dormindo, por isso não atendia às mensagens. Os agentes ainda investigaram a residência à procura de drogas ou indícios de uma tentativa de suicídio, mas não encontraram nada.

Morte da irmã

Aaron não era o único da família Carter a lidar com problemas com abuso de substâncias. Em fevereiro de 2012, a família perdeu Leslie Carter, vítima de uma overdose de remédios, aos 25 anos. Na ocasião, ela estava tentando superar o vício em remédio prescritos, de acordo com o TMZ.

Para ajudar no tratamento, Leslie havia se mudado da casa em que vivia, no Canadá, para Nova York, mais próximo de seus familiares. No local, a família tomou cuidado para que ela não tivesse contato com remédios.

No entanto, em um momento em que a deixaram sozinha, Leslie conseguiu encontrar os medicamentos e os tomou. Ao retornarem para a casa, cerca de uma hora depois, encontraram a jovem inconsciente, sem respirar. Ela foi socorrida, mas chegou morta ao hospital.

Sombra de Nick Carter

Surfando no sucesso do irmão mais velho, Aaron lançou seu primeiro álbum em 1997 e embarcou em turnês ao redor do mundo, como artista solo, convidado e abrindo para shows de outros artistas, como os Backstreet Boys e Britney Spears.

Ele também fez diversas participações em programas de TV interpretando a si mesmo, teve um reality show sobre a sua família, chamado "House of Carters", e esteve em alguns filmes. Porém, o sucesso nunca se igualou ao de Nick.

Em 2018, após ficar alguns anos afastado da música, Aaron lançou o álbum "LOVË", ainda com a sonoridade pop que marcou sua carreira, com destaque para a música "Sooner Or Later". Alguns anos depois, ele também começou a se apresentar como rapper e lançou algumas músicas no gênero.

Estreia no entretenimento adulto

Em setembro de 2020, Aaron Carter se tornou mais um famoso a se juntar às plataformas de conteúdo adulto. Em sua estreia no site pornográfico Cam Soda, o artista fez uma transmissão em que aparecia tomando banho e, depois, na cama, tocando violão completamente nu.

Carter cobrava US$ 27 (cerca de R$ 136 na cotação atual) mensais para que os fãs tivessem acesso ao conteúdo produzido. Na época do lançamento do perfil, um representante do Cam Soda contou à coluna Page Six, do New York Post, que o cantor iria "comer bananas provocativamente e descascar algumas delas com os pés", além de se masturbar "para uma audiência ao vivo pela primeira vez na história".

Morte

Segundo informações do TMZ, que divulgou o óbito, fontes informaram que o corpo de Aaron estava em uma banheira. Forças de segurança acrescentaram ter recebido uma chamada de emergência por volta das 11h da manhã de sábado, do horário local, relatando que um homem havia se afogado na banheira.

A polícia investiga a possibilidade de um homicídio, mas as fontes do portal estadunidense também destacaram se tratar de um procedimento padrão. Por ora, não há evidências do que pode ter causado a morte do artista.