"Os rumores são verdadeiros": O comportamento bizarro de James Cameron em Avatar 2 é revelado por atriz

Muitos duvidavam, mas o diretor James Cameron conseguiu repetir o sucesso de Avatar (2009) – atualmente a maior bilheteria da história – em sua sequência tardia Avatar: O Caminho da Água, que está em exibição nos cinemas também quebrando recordes. Se tratando de uma mega produção e com tanto orçamento envolvido, parece que James Cameron não tinha um comportamento saudável com seus atores no set de filmagem.

O Caminho da Água se passa mais de uma década após a primeira batalha de Pandora entre Na'vi e humanos, quando Jake Sully (Sam Worthington) vive pacificamente. Ele e Neytiri (Zoe Saldana) formaram uma família e fazem de tudo para ficarem juntos e manterem um ao outro seguros. No entanto, quando uma antiga ameaça ressurge, eles devem sair de casa e explorar outras regiões de Pandora, indo para o mar e fazendo pactos com outros povos, além de travar uma nova guerra perigosa contra os humanos.

"Os rumores são verdadeiros" sobre comportamento de James Cameron no set

Sam Worthington comentou em entrevista à Entertainment Weekly que James Cameron tinha o hábito manter uma pistola de pregos por perto e usá-la para pregar na parede os celulares que tocassem durante as gravações. Para a revista D23, Zoe Saldana confirmou que "todos os rumores são verdadeiros" sobre os métodos de trabalho de cineasta.

“Ele é um diretor extremamente colaborativo. Sim, todos os rumores são verdadeiros. Ele será duro com você porque é o mais duro consigo mesmo. Mas ele é o artista mais inquisitivo, curioso, inventivo e científico que já conheci. Ele constroi tudo com as mãos, usando cada célula do cérebro, e está sempre esperando que você seja honesto e comprometido. Eu amo isso. Eu realmente respeito esse nível de trabalho", disse a atriz.

Ao longo dos anos, James Cameron construiu uma reputação de ser uma pessoa bastante difícil de trabalhar e comentou sobre essas polêmicas em entrevista ao Slash Film. Ele afirma que se pudesse mudar algo em sua carreira, seria melhorar as relações de trabalho que teve com elenco e membros da equipe. "Eu poderia ter ouvido mais. Eu poderia ter sido menos autocrático. Não poderia ter tornado o filme mais importante do que a interação humana da equipe", confessa o diretor, que ainda se autodenomina como um "ditador minúsculo" e não se considera uma pessoal cruel, apenas exigente.

Uma das polêmicas mais conhecidas de sua carreira envolve O Segredo do Abismo (1989), quando membros da equipe começaram a usar camisetas que diziam: "Você não pode me assustar, eu trabalho para Jim Cameron". Inclusive, de acordo com o New York Times, o protagonista da ficção científica, Ed Harris, se recusou a promover o filme com raiva pelo "tormento físico e os modos autocráticos" de Cameron nas filmagens. Ou seja, não é nada saudável trabalhar com o diretor de Titanic e O Exterminador do Futuro 2.

Avatar: O Caminho da Água ainda está em exibição nos cinemas brasileiros e passou de 1,9 bilhões de dólares de arrecadação, perto de ultrapassar Homem-Aranha: Sem Volta para Casa e se tornar a sexta maior bilheteria da história do cinema.

Leia o artigo em AdoroCinema

Avatar 2: "James Cameron nunca está satisfeito", relata produtor na CCXP22

Avatar: James Cameron gravou filmes em sequência para não ter o mesmo problema que Stranger Things

"Nosso tempo como artistas é limitado": James Cameron se abre sobre o que a saga Avatar o obriga a sacrificar

"Foi parecido": James Cameron compara Avatar com a química de Leonardo DiCaprio e Kate Winslet em Titanic