Os produtos químicos usados em panelas antiaderentes podem ter um impacto surpreendente no tamanho do pênis

Os produtos químicos em panelas antiaderentes podem ter um impacto surpreendente no tamanho do pênis (Foto: Getty)

Nas notícias bizarras de cada dia, o tamanho dos pênis dos homens pode ter uma ligação com os produtos químicos usados em frigideiras antiaderentes.

Um recente estudo descobriu que os produtos químicos, conhecidos como compostos perfluoralquil (PFCs), estão representando um surpreendente impacto nos pênis dos homens e potencialmente tornando-os menores.

Os produtos químicos, chamados de compostos perfluoralquil (PFCs), são encontrados em vários itens do dia-a-dia, incluindo o revestimento antiaderente de panelas, embalagens de fast-food e remédios.

Pesquisadores da Universidade de Pádua, Itália, revelaram que os PFCs podem ter hormônios que prejudicam a sinalização hormonal, o que por sua vez, pode levar a uma redução significante do pênis e menos mobilidade do esperma.

O estudo, publicado no Jornal da Clínica de Endocrinologia & Metabolismo, mediu 383 pênis – sendo 212 da região de Pádua, na Itália, e outros 171 de outros lugares.

Pádua é uma das quatro localidades no mundo onde a água é conhecida por ter uma grande poluição de PFCs.

Cientistas descobriram que os homens que cresceram nessa área têm o pênis significantemente menor.

Os resultados revelaram que o pênis médio é cerca de 2,5cm menor quando flácido, além de ser visualmente mais fino, nos homens desta região.

Os autores do estudo acreditam que a poluição do rio a partir do escoamento de uma fábrica de produtos químicos e de uma estação de tratamento de águas residuais, podem estar por trás do aumento dos níveis de PFCs na área.

Homens expostos à produtos químicos tem o pênis médio cerca de 2,5cm mais curto (Foto: Getty)

Comentando as descobertas, o autor principal do estudo, Andrea Di Nisio disse: “Esse estudo documenta que os PFCs têm um impacto substancial na saúde do homem, pois interferem diretamente nos padrões hormonais que podem levar à esterilidade masculina.

“Descobrimos que o aumento dos níveis de PFCs no plasma e líquido seminal correlacionam positivamente com a circulação de testosterona e com a redução da qualidade do sêmen, volume testicular, comprimento do pênis e diâmetro.”

Isso é preocupante, uma vez que o impacto dos produtos químicos deve existir desde os anos 70.

“Como o primeiro relatório diz, a contaminação da água por PFC’s existe desde 1977 e a magnitude do problema é alarmante”, explica o Dr. Di Nisio. “Isso afeta toda uma geração de jovens, a partir de 1978.”

Marie Claire Dorking