Os mitos sobre o sono que não deixam você dormir – e prejudicam a sua saúde

Um drink antes de ir deitar, televisão do quarto ligada e ativar o modo soneca quando o despertador toca, são algumas das práticas que podem estar afetando a qualidade do seu sono. [Foto: Getty]

Por Francesca Specter

Alguns dos famosos mitos sobre o sono podem estar arruinando sua capacidade de conseguir dormir o suficiente, revela um novo estudo. Cientistas da Universidade de Nova York identificaram os mitos mais comuns que destroem sua noite de sono.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

“O sono é uma parte vital da vida, ele afeta nossa produtividade, humor e a saúde em geral, além do nosso bem-estar”, diz a principal pesquisadora do estudo, Dr. Rebecca Robbins, PhD. “Desmitificar algumas crenças sobre o sono promove hábitos mais saudáveis, que ajudam na qualidade do sono, o ​​que, por sua vez, melhora a saúde, no geral”.

Se você costuma fazer uma das práticas listadas abaixo, talvez seja hora de mudar seus hábitos:

Você consegue ficar bem com menos de cinco horas de sono

Margaret Thatcher fazia isso, mas seguir os passos da ex-primeira-ministra é uma péssima ideia para o público em geral.

“Nós temos enormes evidências que comprovam que dormir cinco horas ou menos, de forma consistente, aumenta muito o risco de consequências adversas para a saúde”, disse Robbins.

Tampouco tirar cochilos ao longo do dia compensa uma noite mal dormida – Robbins recomenda tentar dormir de 7 a 8 horas todas as noites.

Assistir TV na cama ajuda a relaxar

Mais da metade da população (51%) assiste TV na cama, mas esse hábito pode causar estragos no ciclo de sono.

Embora assistir TV nos ajude a relaxar, Robbins diz que os programas que assistimos na cama podem ser a causa de “insônia ou estresse”.

“Muitas vezes, se estamos assistindo à televisão, é o jornal da noite… é algo que vai causar insônia ou estresse, antes de dormir, sendo que a intenção era relaxar”, diz ela.

Sem contar o efeito da luz azul que emana da televisão, o que dificulta a produção de hormônio do sono, a melatonina.

Ficar mais tempo na cama para conseguir dormir mais

Mais tempo na cama equivale a mais tempo de sono, certo? Errado. Embora seja tentador esperar deitado até que você caia no sono, aparentemente esse tempo sobre o travesseiro pode estar sendo desperdiçado – seria melhor você dobrar as meias (é sério), de acordo com Robbins.

“Para quem dorme de forma saudável, leva cerca de 15 minutos para conseguir adormecer, mas se não for o seu caso, saia da cama, vá para outro cômodo e faça algo para relaxar”, diz ela.

Beber um drink ajuda a dormir

Uma “saideira” pode parecer uma ótima maneira para ajudar a relaxar, mas vai afetar gravemente a qualidade do seu descanso, interrompendo seu sono REM (a fase do sono na qual há mais atividade cerebral), que está associado à memória.

“Isso pode lhe ajudar a adormecer, mas reduz drasticamente a qualidade do seu sono durante a noite”, diz Robbins.

Ativar o modo soneca do despertador

Você é uma daquelas pessoas que coloca o alarme para as 6h30 da manhã e vai ativando o modo soneca até as 7h? De acordo com Robbins, esse é um hábito que precisa ser interrompido.

“Seu corpo vai voltar a dormir, mas vai ser um sono muito leve, de baixa qualidade”, diz ela. Quando o despertador tocar, saia imediatamente da cama.

Não tem problema em roncar

O ronco é geralmente tratado como um hábito inofensivo (para você, pelo menos, talvez não para o seu parceiro).

Mas o ronco alto é aparentemente um sinal de alerta que precisa de atenção, pois pode indicar uma apneia do sono, que é quando há a interrupção da respiração de forma involuntária durante a noite – com o potencial de causar paradas cardíacas ou outras doenças.