Os membros do júri do 74º Festival de Cannes

·3 minuto de leitura
Combinação de fotos dos integrantes do júri do Festival de Cannes em 2021 (da esquerda para a direita) mostra o presidente do júri, Spike Lee, a atriz francesa e diretora Melanie Laurent, a atriz americana Maggie Gyllenhaal, a cantora francesa Mylene Farmer, a diretora austríaca Jessica Hausner, o ator francês Tahar Rahim, o diretor brasileiro Kleber Mendonca Filho, o ator sul-coreano Song Kang-ho e a diretora francesa Mati Diop

Cinco mulheres e quatro homens integram o júri do Festival de Cannes de 2021, de maioria feminina, com cinco mulheres e quatro homens.

- Spike Lee, o presidente -

O diretor americano, de 64 anos, é o primeiro afro-americano a desempenhar a função de presidente do júri.

Lee apresentou sete de seus filmes no Festival de Cannes, como "Ela Quer Tudo", "Faça a Coisa Certa" e "Febre da Selva".

Em 2018, ele foi premiado com o Grande Prêmio por "Infiltrado na Klan", baseado na história real de um policial negro que se infiltrou na Ku Klux Klan.

Lee é uma figura importante da luta contra a discriminação racial nos Estados Unidos e apoiou a carreira de muitos cineastas afro-americanos.

- Kleber Mendonça Filho -

O diretor brasileiro, de 52 anos, disputou a Palma de Ouro pela primeira vez em 2016 com "Aquarius", protagonizado por Sonia Braga. Na ocasião, a equipe do filme protestou no tapete vermelho para denunciar um "golpe de Estado" contra a ex-presidenta Dilma Rousseff.

Três anos mais tarde, seu filme "Bacurau", codirigido por Juliano Dornelles, venceu o Prêmio do Júri em um empate com o francês "Os Miseráveis".

O cineasta também integrou o júri do Festival de Berlim em 2020 e presidiu a Semana da Crítica de Cannes em 2017.

- Mati Diop -

A diretora franco-senegalesa, de 39 anos, disputou a Palma de Ouro em 2019 com seu primeiro longa-metragem "Atlantique", que venceu o Grande Prêmio.

Ela é sobrinha do grande diretor senegalês Djibril Diop Mambéty ("Touki Bouki") e se declara admiradora do cinema onírico do tailandês Apichatpong Weerasethakul, que retorna este ano a Cannes com "Memoria".

- Mylène Farmer -

Conhecida como a "Madonna francesa", Mylène Farmer, de 59 anos, é uma cantora que já vendeu 35 milhões de álbuns e se tornou um ícone entre a comunidade homossexual.

Em 2018, a artista, que já colaborou com grandes cineastas para seus videoclipes como Peter Lindbergh e Abel Ferrara, participou do filme de terror "Ghostland".

- Mélanie Laurent -

A atriz e diretora francesa, de 38 anos, trabalha na França e nos Estados Unidos, onde integrou o elenco do filme "Bastardos Inglórios", de Quentin Tarantino.

Ela codirigiu o documentário "Demain", uma reflexão sobre os desafios do meio ambiente enfrentados pela humanidade. O trabalho se tornou uma referência no tema.

- Maggie Gyllenhaal -

Maggie Gyllenhaal, de 43 anos, foi revelada ao grande público com "Donnie Darko" (2001).

Ela foi indicada ao Oscar de atriz coadjuvante por seu papel em "Coração Louco" (2009). Também atua no teatro e na série "The Deuce", da HBO, sobre a indústria do pornô na década de 1970 e 1980, do qual também é produtora. Atualmente, trabalha em seu primeiro filme como diretora, baseado em um dos livros da escritora italiana Elena Ferrante.

- Song Kang-ho -

Ator fetiche de Bong Joon-ho, o sul-coreano interpretou o pai da família de "Parasita", que venceu a Palma de Ouro em 2019 e o Oscar de melhor filme em 2020.

Em sua carreira, já atuou em 40 filmes, como "Memórias de um Assassino" e "O Hospedeiro".

Em 2020, o jornal americano The New York Times o incluiu na lista dos "25 melhores atores do século XXI".

- Tahar Rahim -

O ator francês, de 39 anos, foi indicado ao Globo de Ouro e ao Bafta por seu papel de detento na prisão de Guantánamo no filme "O Mauritano".

Ele foi revelado em 2009 com "O Profeta", de Jacques Audiard, drama recompensado com o Grande Prêmio do Festival de Cannes. Pelo filme, venceu as categorias de melhor ator e de ator revelação no César, a grande premiação do cinema francês.

- Jessica Hausner -

A diretora austríaca, de 48 anos, participou do Festival de Cannes em 2019 com o filme "Little Joe", que rendeu o prêmio de melhor atriz para Emily Beecham.

A ex-estudante de Psicologia fundou uma produtora, Coop 99, pela qual lançou filmes como "Lovely Rita" e "Lourdes".

bur-app/mas/fp/tt/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos