Os 6 patrocínios mais icônicos da história do futebol brasileiro

Pedro José Domingues
·5 minuto de leitura

A relação dos clubes brasileiros com patrocínios vem sendo mantida desde os anos 80, quando o modesto clube Democrata de Sete Lagoas, de Minas Gerais, se tornou o primeiro clube brasileiro a estampar uma marca em seu uniforme. A história foi desenhada dessa maneira e nesse período por conta da proibição de divulgação de marcas no futebol brasileiro, que teve seu fim em 1982.

Desde então, patrocínios e clubes de futebol tiveram um mundo de possibilidades e desfechos, com muitos desses patrocinadores participando ativamente da rotina do clube, ou marcando alguma camisa histórica de anos vitoriosos com sua marca.

Hoje em dia, essa relação é baseada em fins lucrativos com o patrocinador sendo determinante para investimentos no futebol, no clube etc. Além disso, muitos clubes de menor expressão só existem por conta da verba de patrocínio, com suas camisas abarrotadas de marcas sendo protagonista nesse processo.

Com isso, separamos seis patrocínios que fizeram história no futebol brasileiro, seja por sua longa relação com o clube, títulos conquistados, ou até mesmo contratações de peso. Confira:

*Sem ordem de relevância de clubes e/ou patrocínios.

6. Grêmio, Internacional e Banrisul

FBL-LIBERTADORES-INTER-GREMIO | DIEGO VARA/Getty Images
FBL-LIBERTADORES-INTER-GREMIO | DIEGO VARA/Getty Images

A Banrisul, banco estatal do Rio Grande do Sul, é patrocinadora do Grêmio e Internacional desde 2001. Desde então, todos os patrocínios fechados pelos dois clubes são os mesmos, com exceção da Betsul com o Grêmio - fechado em fevereiro desse ano, após 20 anos de contratos "divididos" entre os rivais.

Ao todo, a relação Banrisul-Grêmio-Inter tem 25 títulos com o Inter, e 17 títulos com o Grêmio.

5. Vasco e SBT

Talvez a parceria mais curiosa e polêmica dessa lista. Vasco e SBT durou apenas um dia, em um jogo, mas ficou marcada na história do clube e da emissora. Após um acidente em São Januário na primeira partida da final do Brasileirão de 2000, o ex-presidente Eurico Miranda se irritou com a cobertura da Globo na situação.

Como forma de "vingança", estampou a logo da concorrente SBT de forma gratuita no segundo jogo da final, o que ganhou ainda mais relevância após o título do Vasco na final. Uma camisa concorrida por colecionadores do Vasco, por se tratar de apenas um jogo e poucas unidades utilizadas na partida, e que está guardada pra sempre na memória dos vascaínos.

4. Botafogo e Seven Up

Em 1995, o Botafogo firmou um contrato de patrocínio com a Pepsi-Cola, com o intuito de vincular algum dos refrigerantes da empresa à imagem do Glorioso. Com isso, a Seven Up foi escolhida, e fez parte do processo de uma das parecerias mais icônicas do futebol nacional.

Como forma de conectar o clube com a marca, e aumentar o engajamento da parceria, o craque do time, Túlio, trocou o número de sua camisa. A camisa 9 foi substituída pela 7, com o peso histórico da camisa de Garrincha, e fazendo referência ao nome da marca. As ações e vendas da marca subiram consideravelmente no Rio de Janeiro, e o Botafogo foi campeão brasileiro naquele ano.

3. Flamengo e Petrobras

Romario of the Flamengo team of Rio de Janeiro, ce | VANDERLEI ALMEIDA/Getty Images
Romario of the Flamengo team of Rio de Janeiro, ce | VANDERLEI ALMEIDA/Getty Images

A Petrobras exibiu sua marca e alguns de seus produtos nos uniformes do Flamengo em uma relação bastante duradoura e longeva com o clube carioca, de 1984 até 2009 - 25 anos. Entre os produtos mais exibidos nas camisas rubro-negras nesses vinte e cinco anos de parceria, estão o óleo Lubrax e a gasolina Podium.

Além disso, a estatal se envolvia diretamente em negociações de jogadores para o Flamengo nos anos 80 e 90. No total, foram 34 títulos com o clube rubro-negro, com destaque para três Campeonato Brasileiro, duas Copa do Brasil, uma Mercosul e dez Cariocas.

2. Fluminense e Unimed

Fluminense v Arsenal - Copa Libertadores 2012 | Buda Mendes/Getty Images
Fluminense v Arsenal - Copa Libertadores 2012 | Buda Mendes/Getty Images

Em uma parceria de 15 anos, Unimed e Fluminense protagonizaram uma das maiores recuperações de clubes brasileiros em tão pouco tempo. O patrocínio começou em 1999 após um período sombrio do clube das Laranjeiras, que chegou a disputar a Série C na época.

Com o aumento no número de associados na empresa e uma reformulação na gestão do tricolor, a parceria passou a ter sucesso nos títulos da Copa do Brasil (2007), Campeonato Brasileiro (2010 e 2012) e campanhas de destaque em torneios continentais.

Um dos símbolos dessa parceria é o ex-presidente da empresa Celso Barros, que foi determinante nas contratações de Romário, Deco e Fred, por exemplo. Em 2014, por conta de desavenças com a gestão de Peter Siemsen no Flu, a Unimed decidiu por anunciar o fim da parceria.

Para saber mais dos acontecimentos dessa parceria, clique aqui para acessar a linha do tempo do ge.

1. Palmeiras e Parmalat

Palmeiras captain Cesar Sampaio raises the trophy | VANDERLEI ALMEIDA/Getty Images
Palmeiras captain Cesar Sampaio raises the trophy | VANDERLEI ALMEIDA/Getty Images

Na época mais vitoriosa da história do Palmeiras, a Parmalat patrocinou o clube alviverde de 1993 até 1999, com onze títulos em nove temporadas que estavam vigentes no acordo. A fábrica italiana participou ativamente da parte administrativa do Palmeiras, não poupando esforços e dinheiro na contratação de grandes jogadores.

No período da parceria, vestiram a camisa do Palmeiras nomes como Roberto Carlos, Edmundo, Rivaldo, Djalminha, Edílson, Mazinho, Cafu, Muller, Luizão e entre outros tantos craques.

Com a empresa italiana, foram três Paulistas - 1993, 1994 e 1996-, dois Campeonato Brasileiro - 1993 e 1994 - e a Copa Libertadores de 1999. O impacto pós-Parmalat no Palmeiras foi tanto que o clube chegou a ser rebaixado na temporada de 2002. Envolvida em escândalos, a empresa de laticínios decretou falência em 2003.