'Sou muito orgulhosa de 'Bruna Surfistinha'', diz Deborah Secco após declaração de Bolsonaro

Deborah Secco em cena de 'Bruna Surfistinha' (Imagem: divulgação Imagem Filmes)

A atriz Deborah Secco foi surpreendida com a declaração do presidente Jair Bolsonaro que, durante cerimônia oficial na última quinta-feira (18), disse não poder admitir que se façam filmes como ‘Bruna Surfistinha’ com dinheiro público.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

“Fiquei muito triste. Acho que a arte tem que ser ampla, tem que ser abrangente. A gente precisa poder falar sobre tudo para, através da arte, conseguir debater sobre tudo", diz a atriz em entrevista.

Leia também:

“Sou muito orgulhosa desse filme. Ele me trouxe uma nova visão sobre essa realidade e espero que tenha trazido para várias outras pessoas que o assistiram”, defende Deborah.

Vale lembrar que o longa foi financiado em parte pelos mecanismos de lei de incentivo ao cinema, mas Deborah também teve que colocar dinheiro do bolso para financiar as filmagens.

“Fico um pouco chocada do 'Bruna Surfistinha' ter sido colocado nesse lugar, porque o filme retrata uma história real não só da Raquel [nome de batismo da personagem], mas de milhares de mulheres que se encontram nessa situação”, lamenta.

Para a atriz, o filme, lançado nos cinemas em 2011 a partir do best-seller ‘O Doce Veneno do Escorpião’, teve o mérito de discutir uma questão social relevante.

O que a gente queria com o filme era debater e falar sobre como a gente lida com essa realidade

“É trazer o debate à tona mesmo. A gente não pode pegar um tema que existe, que é super real, antigo, porém muito atual, e esconder, fingir que ele não existe, tampar com uma cortininha e não falar sobre isso. Muito pelo contrário. Uma das funções da arte é fazer com que a gente consiga debater, resolver questões que por muitas vezes são esquecidas ou são escondidas", afirma a atriz.