"Ofereceram mais dinheiro do que eu jamais poderia sonhar": Quando Leonardo DiCaprio disse não à Disney

Vencedor do Oscar 2016 de Melhor Ator por O Regresso, Leonardo DiCaprio é uma daquelas celebridades de Hollywood cuja filmografia praticamente não contém erros. Com quase 50 anos, o astro de Titanic já foi dirigido por Steven Spielberg, Martin Scorsese, Christopher Nolan, Quentin Tarantino, Clint Eastwood, entre outros veteranos da indústria.

Mas, antes de ser alçado à fama mundial, quando tinha apenas 15 anos, DiCaprio teve necessariamente que começar com projetos mais modestos, muitas vezes optando por papéis surpreendentes para forjar um início de carreira marcante. Mesmo que isso signifique, por vezes, recusar outras ofertas mais atraentes.

Então, no começo dos anos 90, depois de atuar na série Growing Pains e nos filmes Critters 3 (1991) e O Despertar de um Homem (1993), ele recebeu uma proposta para lá de tentadora da Disney: participar do hoje aclamado Abracadabra (1993), ao lado de Bette Midler, Sarah Jessica Parker e Kathy Najimy.

Nessa comédia de terror comandada por Kenny Ortega, três irmãs bruxas do século 17 chegam ao século 20 após seus espíritos serem evocados no Halloween. DiCaprio foi chamado para interpretar Max, o adolescente responsável por despertar o trio principal.

Embora o famoso estúdio tenha lhe oferecido “mais dinheiro do que jamais poderia sonhar”, como o próprio declarou em 2014 à Variety, o ator decidiu recusar o trabalho, que acabou ficando com Omri Katz.

Em vez disso, DiCaprio optou por um projeto mais confidencial e por um personagem mais exigente em 1993: o de Arnie, irmão mais novo de Gilbert Grape (Johnny Depp), que sofre de transtornos mentais no drama realizado por Lasse Hallström.

“Não sei de onde veio essa audácia”, contou ele à revista sobre sua rejeição à Disney. “Eu vivia em um ambiente em que as pessoas tentavam me influenciar a ganhar muito dinheiro, a aproveitar todas as oportunidades à medida que surgiam. Mas, se tem algo de que me orgulho, é ter sido um jovem fiel às suas escolhas”, completou DiCaprio.

Em 1994, graças à performance em Gilbert Grape - Aprendiz de Sonhador, ele ganhou sua primeira indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. No fim, perdeu para Tommy Lee Jones, por O Fugitivo.

Leia o artigo em AdoroCinema

Johnny Depp estava de saco cheio de Leonardo DiCaprio quando trabalharam juntos nos anos 90 — mas ele se arrepende

Cena icônica de Titanic foi improvisada, e Leonardo DiCaprio não queria fazê-la

Em novo filme, Leonardo DiCaprio vai viver líder de culto religioso que matou mais de 900 seguidores

Leonardo DiCaprio não gostou de cena de nudez com Meryl Streep em Não Olhe para Cima: "Precisa mesmo mostrar isso?"

Leonardo DiCaprio recebe homenagem inusitada de cientistas após conquista histórica fora das telas