Obra de colaborador de Leonardo da Vinci é leiloada por US$ 2 milhões

·1 minuto de leitura
Eric Turquin em Paris em 18 de novembro de 2020
Eric Turquin em Paris em 18 de novembro de 2020

Uma "Madalena penitente" de Salai, principal colaborador de Leonardo da Vinci, foi leiloada por 1,7 milhão de euros (US$ 2 milhões) nesta quarta-feira (18), em Paris, excedendo em muito seu preço estimado - informou a casa Artcurial.

Medindo 65 cm por 50 cm, a tela, em bom estado, representa Maria Madalena em um fundo preto, com o olhar em êxtase e os braços cruzados.

Estimada entre 100.000 e 150.000 euros (US$ 116.000 e US$ 174.000), a pintura foi adquirida após um leilão animado por telefone e a portas fechadas, devido ao confinamento.

Apenas algumas pinturas de Salai são conhecidas, como o "Cristo Redentor", preservado na Pinacoteca Ambrosiana de Milão. O restante está em mãos privadas.

Gian Giacomo Caprotti, conhecido como Salai (1480-1524), foi o principal colaborador de Leonardo da Vinci: foi seu aluno, assistente, modelo, tesoureiro, agente e amante. 

O mestre da Renascença teria-lhe dado esse apelido, sinônimo de "diabinho", já que era dado a mentir e a roubar.

"Este quadro é um verdadeiro achado. Seu proprietário, que o comprou por uma modesta quantia, confiou-nos para venda. Chegou-nos sem atribuição. Foi Cristina Geddo", uma conceituada perita lombarda do século XV, que "nos revelou que pertencia a Salai", disse o especialista Eric Turquin à AFP, dias antes do leilão.

"Encontramos suas impressões digitais: o pintor cravou o polegar na tinta fresca, característica da técnica de Leonardo e Salai", conta Turquin.

A obra denota "um conhecimento perfeito (da técnica) do 'sfumato' de Leonardo". Outro elemento reconhecível é "uma linha branca que marca a pálpebra inferior, dando uma sensação de dureza que destaca o olho", disse o especialista.

jlv/app/mb/mr/tt