Objetos e obras de arte de Robin Williams serão leiloados em Nova York

AP

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Esculturas, pinturas, relógios e objetos religiosos pertencentes ao ator americano Robin Williams, morto em 2014, e sua segunda mulher, Marsha, serão postos à venda pela casa de leilões Sotheby’s, em Nova York.

Entre as dezenas de lotes que serão oferecidos estão artigos do mundo do cinema, como acessórios de filmagens e figurinos, além de prêmios e roteiros autografados. Um dos itens é uma toga usada por Daniel Radcliff na saga “Harry Potter” -cuja venda está estimada entre US$ 10 mil e US$ 15 mil (em torno de R$ 37,8 mil e R$ 56,7 mil).

A coleção também inclui obras de arte moderna e contemporânea, como uma escultura de Niki de Saint Phalle, além de outras obras de grandes artistas de rua, como Banksy, Shepard Fairey e o francês Invader.

Uma parte dos lucros será destinada a organizações sem fins lucrativos, como o Wounded Warrior Project, que trabalha com feridos em conflitos armados, e a Juilliard School, uma prestigiada escola de música, teatro e dança sediada em Nova York.

Williams ganhou um Oscar em 1998 por seu papel coadjuvante em “Gênio Indomável”. Pai de três filhos, ele era conhecido por sua enorme energia e capacidade de improvisar piadas e estrelou filmes de sucesso como “Bom dia, Vietnã” e “Uma babá quase perfeita”.

Marsha, produtora de filmes e filantropa, foi sua segunda mulher. Eles foram casados de 1989 a 2010 e tiveram dois filhos.

Williams cometeu suicídio aos 63 anos. Sua viúva e terceira mulher, Susan Schneider, revelou mais tarde que ele sofria de Demência de Corpos de Lewy, uma doença neurodegenerativa que altera o humor e os movimentos e causa alucinações.