O que você precisa saber para começar a quinta-feira

Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images

Paulo Guedes defende dólar alto e ironiza empregadas domésticas. Governo Bolsonaro segue com desmonte do Bolsa Família e Sergio Moro é chamado de “capanga de miliciano” e se irrita.

Confira o que você precisa saber para começar a quinta-feira (13):

Guedes ironiza domésticas

O ministro da Economia, Paulo Guedes disse que o dólar mais alto é “bom para todo mundo”. Ele afirmou que, com o dólar mais baixo, “todo mundo” estava indo para a Disney, nos Estados Unidos, inclusive “empregada doméstica”. E recomendou que os brasileiros viagem pelo Brasil. O dólar bateu o quarto recorde consecutivo em relação ao real. A moeda norte-americana encerrou o dia vendida a R$ 4,3505, em alta de 0,55%. Para Guedes, o mix de juros baixos e câmbio alto é bom, porque aumenta as exportações e substitui importações, inclusive no turismo.

Desmonte do Bolsa Família

Apesar de ter editado a Medida Provisória (MP) 898/19, que estabelece o pagamento do 13º a beneficiários do Bolsa Família, o governo do presidente Jair Bolsonaro posicionou-se contra a transformação da medida em lei. Publicada no dia 16 de outubro, a medida provisória já passou a valer imediatamente. Por isso, segundo o Ministério da Cidadania, 13,5 milhões de beneficiários do programa receberam a parcela adicional no final do ano passado. No entanto, como MPs têm validade de até 120 dias, o Congresso deve analisar a medida para transformá-la em uma lei definitiva.

Ex-capitão morto

O laudo de necrópsia feito no corpo de Adriano Magalhães da Nóbrega atestou que o ex-capitão do Bope foi atingido por dois tiros na operação policial em Esplanada, na Bahia, na qual acabou morto. De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública da Bahia, um dos disparos entrou na região entre o pescoço e a clavícula, e o outro, no peito. Um dos projéteis atravessou o corpo de Adriano e o outro, ficou alojado. O exame foi feito pelo Instituto Médico Legal do município de Alagoinha.

“Capanga de miliciano”

Depois de quatro horas de debates, a sessão da comissão especial em que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, era ouvido sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da prisão após a segunda instância foi encerrada em meio a uma troca de ofensas entre deputados. Os parlamentares Glauber Braga (PSOL-RJ) e Delegado Éder Mauro (PSD-PA) trocaram xingamentos depois que o carioca chamou o ministro de “capanga de miliciano”.

Crise sem fim na Raposa

O Cruzeiro já sabe que terá um novo presidente no dia 21 de maio, data marcada para a escolha de quem vai comandar o clube até o fim de 2020, para completar o mandato de Wagner Pires de Sá, eleito para presidir o clube no triênio 2018/2020, mas que renunciou no fim do ano passado. E, neste primeiro momento, o grupo responsável pela vitória de Wagner Pires cogita lançar um novo candidato. A “Família União”, como se autodenomina, teve presença marcante na gestão anterior do Cruzeiro.