'O Caso Evandro' leva morte brutal e misteriosa de criança para nova série e livro

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - "O Caso Evandro” consolidou seu criador, o jornalista Ivan Mizanzuk, como protagonista na cena dos podcasts brasileiros. Publicada dentro da série “Projeto Humanos”, a narrativa teve mais de 9 milhões de downloads na soma de seus 36 episódios.

É fácil entender o apelo. A trama serializada investiga um episódio real ocorrido em 1992, o assassinato brutal de um garoto de seis anos em circunstâncias que traziam líderes políticos, seitas secretas e conflitos entre forças policiais para um misterioso torvelinho na pequena cidade paranaense de Guaratuba.

O caso de sucesso se amplia agora, quando o podcast se torna o primeiro do país a migrar, simultaneamente, para duas plataformas distintas. Vira uma série documental de oito episódios, com a grife da Globo, e livro de uma editora de porte, a HarperCollins.

A maior diferença entre esses novos produtos e o original, além da óbvia troca do áudio por imagens e letras, é que eles lidam com uma história que já tem ponto final.

Não que tudo esteja plenamente resolvido —série e livro trazem novidades relativas ao caso e, segundo seu criador, “os momentos finais do seriado vão deixar as pessoas muito impressionadas”—, mas parte da graça do podcast era acompanhar as descobertas do próprio Mizanzuk.

As mais de 54 horas do áudio, publicadas de 2018 a 2020, mostravam as reflexões do narrador sobre evidências recém-obtidas e discutiam minúcias técnicas que pareciam relevantes ao caso.

Conforme a trama avançava, Mizanzuk se deparava com descobertas que o faziam reexaminar tudo o que relatara até ali, ao estilo do que a americana Sarah Koenig fez em “Serial”, inspiração declarada e uma pioneira no gênero.

“Se eu tivesse desde o começo as fitas que mostro no episódio 25, seria um podcast bem mais curto”, exemplifica.

Agora, ele trabalha num modo de balanço retrospectivo mais amadurecido —e tem apoio criativo e jurídico de empresas robustas para amparar o que antes era, basicamente, uma jornada solitária.

Na produção do Globoplay, ele é creditado pela pesquisa e colaboração de roteiro, e o produto final tem a assinatura de quatro outros roteiristas e dois diretores, Michelle Chevrand e Aly Muritiba.

“Isso me permitiu abrir o trabalho para que outras pessoas pudessem trazer sua visão sobre aquilo”, conta Mizanzuk. “Apesar de ter participado, eu sempre disse que não tinha nem cacife para fazer série de TV. O controle está na mão de pessoas que conhecem muito mais o audiovisual.”

A série se ancora em vídeos e fotografias de arquivo, que permitem uma identificação mais imediata dos múltiplos personagens, e em cenas de reconstituição com atores, à la “Linha Direta”, que ambientam o espectador na ação.

Já no livro, a autoria do jornalista está em primeiro plano, mas também teve a cooperação de editoras experientes. “O trabalho da edição é deixar o autor soando mais como ele mesmo”, afirma ele.

Afinal, a expertise maior de Mizanzuk é a do áudio, que opera numa lógica distinta. Ao usar só a voz para narrar uma história, é preciso recapitular com mais frequência e não há índice nem linha do tempo que o ouvinte consiga consultar de bate-pronto.

E essas são funções importantes num enredo com numerosas camadas de complicação. Para dar uma ideia, uma lista ao fim do volume de 448 páginas cataloga 307 personagens que foram relevantes para as investigações.

É um trabalho de fôlego que buscou desenredar versões conflituosas, identificar acusações sem provas e murchar sensacionalismos para descobrir o que afinal aconteceu com o menino Evandro.

E, no processo, galgou novo patamar para a produção brasileira de podcasts. O “Presidente da Semana” produzido pelo jornal Folha de S.Paulo já virou livro, e o “Praia dos Ossos”, da Rádio Novelo, teve os direitos comprados para virar série. Mas de adaptação dupla, Evandro é mesmo o primeiro caso.

*

O CASO EVANDRO

Quando Dois primeiros episódios disponíveis no Globoplay nesta quinta (13)

Direção Michelle Chevrand e Aly Muritiba

*

O CASO EVANDRO

Quando Lançamento em 14/6

Preço R$ 64,90 (448 págs.); R$ 44,90 (ebook)

Autor Ivan Mizanzuk

Editora HarperCollins Brasil