O banco precisa ressarcir notas manchadas por roubo?

É importante sempre recusar notas manchadas (Foto: Getty Images)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Só há reembolso caso a nota venha do próprio banco

  • É importante prestar atenção e sempre recusar notas manchadas

Cada vez mais, bancos instalam em seus caixas eletrônicos (ATMs) um dispositivo de segurança que mancha as cédulas com tinta rosa em caso de assalto. A ideia é inutilizá-las, mas o que fazer caso uma nota manchada chegue às suas mãos?

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

BAIXE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

De acordo com o Banco Central, a melhor forma de evitar problemas é sempre conferir as cédulas ao receber troco ou sacar dinheiro em caixas eletrônicos. Caso haja manchas rosadas, é importante se recusar a receber a nota.

No entanto, essa nem sempre é a realidade. Quem tiver uma cédula manchada em mãos precisa entregá-la a uma agência bancária. Se a nota tiver saído de um caixa ou terminal de autoatendimento, o cidadão deve procurar qualquer agência do banco no qual é correntista. Quem não tem conta em banco algum precisa se dirigir a qualquer agência do banco onde sacou o dinheiro.

As regras do Conselho Monetário Nacional e do Banco Central do Brasil determinam que os bancos são responsáveis pelas cédulas disponibilizadas em terminais eletrônicos. Por isso, o banco é obrigado a trocar o dinheiro manchado por notas válidas. Como as instituições têm registros de todos os saques efetuados, a troca é feita imediatamente.

A situação se complica quando a pessoa recebeu uma nota manchada em outras circunstâncias – por exemplo, como troco em comércios. Nesses casos, a cédula deve ser entregue em qualquer agência bancária, onde seus dados serão anotados (nome, endereço, CPF ou CNPJ).

A nota é enviada para análise do Banco Central, e o cidadão só é ressarcido caso fique comprovado que a mancha não foi causada pelo mecanismo antifurto. Se a nota realmente tiver sido manchada pelo dispositivo de segurança, a pessoa não recebe o reembolso.