Número de pessoas trans eleitas sobe 200% em relação a 2016 e chega a 25

Anita Efraim
·1 minuto de leitura
Erika Hilton, candidata à veredora da cidade de São Paulo. Foto: Ravi Santana
Erika Hilton foi a mulher mais votada em na cidade de São Paulo (Foto: Ravi Santana)

Nas eleições municipais de 2020, 25 pessoas trans foram eleitas para cargos públicos. O número representa um aumento de 200% em relação ao pleito de 2016, segundo levantamento da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra).

Entre elas, 12 estão no estado de São Paulo, sendo 4 na capital: Erika Hilton (PSOL), Thammy Miranda (PL), Carolina Iara, que faz parte da Bancada Feminista do PSOL, e Samara Santana, do Quilombo Periférico.

O levantamento ainda revela que entre os 25 eleitos, 16 candidaturas são de esquerda (PSOL, PT, PDT, PV e PSB); 7 de centro (PROS, Avante, PSDB e MDB); 2 pela direita, sendo um no PL e um no DC. No Sudeste, 18 pessoas trans foram eleitas, no Nordeste foram 2, no Sul 4 e no Norte 1. Entre as candidaturas de pessoas trans, sete delas foram as mais votadas das cidades. A eleição de pessoas trans negras ou pardas representa 35%.

Leia também

Os dados da associação mostram que 294 travestir, homens trans e mulheres trans concorreram nas eleições de 2020. Para a Antra, as 17 pessoas trans eleitas terão “o dever de se posicionar sobre a importância de visibilizar esses corpos nas câmaras municipais, e defender a nossa existência nos representando e atuando em prol de nossa população.”