Novos filmes sobre a Lava Jato terão prisão de Lula e chegada de Moro ao Ministério

Marcelo Serrado como Sérgio Moro em ‘Polícia Federal – A Lei é Para Todos’ (Imagem: divulgação Paris)

Concebida para ser uma trilogia, a franquia iniciada no ano passado com o lançamento de ‘Polícia Federal – A Lei é Para Todos’, visto por 1,3 milhões de espectadores no cinema, projeta agora seus próximos passos.

De acordo com declarações do produtor Tomislav Blazic ao UOL, a segunda parte, prevista para 2019, irá mostrar o impeachment de Dilma Rousseff, a prisão de Lula, as gravações das conversas entre Joesley Batista e Michel Temer, além das denúncias contra Aécio Neves.

Já o terceiro filme, que começará a ser produzido em 2020, deve mostrar a eleição de Jair Bolsonaro e a ida do juiz Sérgio Moro ao Ministério da Justiça. “A gente torce para que Brasília não crie novas situações”, disse Blazic ao portal.

Moro já apareceu como personagem no primeiro longa, interpretado por Marcelo Serrado. Porém, em outubro de 2017, o ator chegou a declarar à revista GQ que não gostaria de voltar ao papel. “Gostei do filme e admiro o trabalho de Moro, mas agora quero fazer outras coisas. Já fiz minha parte. Vou continuar a discutir política, mas nos bastidores, nos encontros que tenho feito com os colegas”, revelou na ocasião.

O ex-presidente Lula, por sua vez, foi vivido por Ary Fontoura. O retorno do veterano ator ainda não foi confirmado pelo produtor. Até o momento, o produtor garantiu a presença apenas de Bruce Gomlevsky e Rainer Cadete no elenco.

Além disso, haverá uma diferença na forma com a qual as partes 2 e 3 de ‘Polícia Federal – A Lei é Para Todos’ serão financiadas. Após ter aberto mão de contar com dinheiro público atráves de leis de incentivo para produzir o filme de 2017, as sequências irão procurar se beneficiar da Lei do Audiovisual. ‘Polícia Federal – A Lei é Para Todos 2’, por exemplo, foi autorizado pela Ancine (Agência Nacional do Cinema) a captar R$ 13,7 milhões.