Novo filme de Woody Allen se torna a maior bilheteria global da pandemia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em meio à pandemia do coronovírus, "Um Dia de Chuva em Nova York", mais novo filme de Woody Allen, se tornou a maior bilheteria no último fim de semana.

Com os cinemas ao redor do mundo de portas fechadas, só os números da Coreia do Sul e da Noruega foram contabilizados pelo agregador Box Offic Mojo.

No país de Bong Joon-ho, "Um Dia de Chuva em Nova York" liderou as bilheterias, com US$ 339,6 mil, cerca de R$ 2 milhões.

A Noruega reabriu seus cinemas na última quinta (7). Foram 30 salas, o que representa cerca de 15% do total no país, segundo o site Deadline, que ainda informa que 96% dos ingressos foram vendidos. Quem lidera a lista do país escandinavo, no entanto, é a animção da Pixar "Dois Irmãos", com modestos US$ 17,2 mil.

O governo coreano não impôs o fechamento das salas, embora a população tenha aderido a medidas de isolamento social, o que fez com que o público dos cinemas despencasse. A queda nas bilheterias do primeiro trimestre foi da ordem de 65%, comparado com o mesmo período do ano passado, já que os espectadores relutaram em sair de casa.

No agregado de maiores bilheterias deste ano, lideram "Bad Boys Para Sempre" e "Sonic", lançados entre janeiro e fevereiro, antes que a OMS (Organização Mundial da Saúde) declarasse pandemia de coronavírus.

Após denúncias de que Allen teria molestado Dylan Farrow, a Amazon Studios cancelou o laçamento de "Um Dia de Chuva em Nova York".

Estrelada por Timothée Chalamet, Selena Gomez, Elle Fanning e Jude Law, a comédia romântica faz parte de um acordo de quatro filmes encomendados a Allen pelos Amazon Studios, que foi abruptamente cancelado no último mês de junho. O filme está pronto desde 2018.