Estudo mostra que tomar muito café aumenta risco de doenças cardíacas

Redação Vida e Estilo
Novo estudo expõe as consequências do consumo exagerado de café
Novo estudo expõe as consequências do consumo exagerado de café

Quantas vezes você foi rastejando da sua mesa do escritório até a máquina de café e pensou: “Esta é mesmo a minha quarta xícara do dia? Ou é a quinta?”

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

O estudo, publicado na revista científica American Journal of Clinical Nutrition, sugere que tomar seis ou mais xícaras de café por dia pode aumentar o seu risco de desenvolver doenças cardíacas em até 22%.

Pesquisadores da University of South Australia analisaram os históricos de saúde e padrões de dieta relatados por 347.077 participantes com idades entre 37 e 73 anos. Eles também investigaram quais destes participantes possuíam uma variedade específica de gene, chamado CYP1A2, que permite que os indivíduos que o carregam metabolizem a cafeína mais rapidamente do que os outros.

No geral, os pesquisadores descobriram que as pessoas que relataram tomar seis ou mais xícaras de café por dia apresentaram uma probabilidade 22% maior de desenvolver doenças cardiovasculares durante o período do estudo, em comparação com aqueles que tomavam uma ou duas xícaras diárias.

Leia mais: Cafés e bares com lojas de plantas espalham suas raízes por SP

Eles também concluíram que esta associação não depende das características genéticas; em outras palavras, pessoas com o gene que facilita a metabolização da cafeína não têm uma margem de segurança maior diante do consumo exagerado de café.

Os autores do estudo acreditam que o café (em grandes quantidades) e os problemas cardíacos podem estar associados porque o consumo excessivo de cafeína leva à pressão alta, um fator de risco para as doenças cardiovasculares. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte em todo o mundo, embora estejam entre as mais fáceis de prevenir.

Close up of young woman having coffee and reading news on mobile phone in the early morning before work
(Foto: Getty Images)

“A maioria das pessoas concorda que se você tomar café demais, pode se sentir agitado, irritável, ou até enjoado,” disse Elina Hyppönen, coautora do estudo e diretora do Australian Centre for Precision Health, em um comunicado de imprensa. “Isso acontece porque a cafeína ajuda o seu corpo a trabalhar mais rápido e mais intensamente, mas também pode ser um indicativo de que você chegou ao limite do seu consumo no momento em questão”.

Isso não significa que o café seja prejudicial à saúde. Na verdade, os pesquisadores também descobriram que os participantes que não tomavam café – e aqueles que escolhiam a versão descafeinada – tinham taxas maiores de doenças cardiovasculares (11% e 7%, respectivamente) do que aqueles que consumiam duas xícaras por dia.

Leia mais: Como uma mulher inventou o café que conhecemos hoje

Estudos anteriores descobriram que o café é rico em antioxidantes e pode reduzir o risco de doenças cardíacas, derrame e diabetes, se for consumido com moderação. Uma análise de 2017 publicada na revista Food and Chemical Toxicology descobriu que a ingestão de até 400mg por dia não traz riscos para a saúde de adultos.

Portanto, não há razão para cortar completamente o café, mas é importante prestar atenção na quantidade que você está ingerindo. “É fundamental conhecer o limite do que faz bem para o seu organismo e do que não faz,” afirmou Hyppönen, no comunicado de imprensa. “Como a maioria das coisas, a questão é a moderação; se você exagerar, sua saúde vai pagar o preço”.