Novembro Azul alerta para a prevenção do câncer de próstata

Foto: Getty Images

Por Juliana Gola

Segundo o Inca (Instituto Nacional de Câncer), no Brasil, o tipo de câncer mais incidente para os homens em 2018 depois do de pele, é o de próstata, com 31,7%, bastante acima do terceiro lugar, o de traqueia, brônquio e pulmão, que soma 8,7% dos casos. Foi pensando nisso que, em 2008, o Instituto Lado a Lado pela Vida (LAL) criou a campanha “Um Toque, Um drible”, que três anos depois, em 2011, passou a se chamar Novembro Azul, tendo como inspiração o movimento australiano Movember (Moustache/November, em livre tradução Bigode/Novembro).

A ideia era que os homens passassem a se preocupar mais com a prevenção do câncer, já que culturalmente vão muito menos ao médico do que as mulheres. “Realizamos iniciativas de alerta para a importância de promover a mudança de comportamento dos homens, para que incorporem o hábito de consultar um médico e realizar os exames preventivos para detecção precoce do câncer de próstata e de outras doenças”, conta a fundadora e presidente do LAL, Marlene Oliveira.

Leia mais: Como manter os dentes brancos tomando café

E o movimento surtiu efeito. Em 2011, criou uma demanda de exames no SUS, que passou a recomendar os exames preventivos para 45 e 50 anos. Já em 2017, as mais de 450 ações do Novembro Azul atingiram cerca de 100 milhões de pessoas em todo o Brasil. Iluminações de prédios e monumentos, palestras, ações em locais de grande circulação de pessoas como estádios, autódromos, shoppings centers e apoios de instituições e personalidades, alertaram para a importância da realização de exames preventivos.

A campanha chegou até mesmo na Times Square, em Nova Iorque, com exibição de um banner em um de seus principais e mais famosos painéis iluminados. “Números assim refletem o crescimento da campanha e tornaram o Novembro Azul uma referência na missão de orientar a população masculina a cuidar melhor da saúde, impulsionando o movimento a entrar para o calendário nacional de prevenção”, exalta Marlene.

Leia mais: Mulher humilha namorado por anel de noivado

Ainda segundo o INCA, estima-se que em 2018 surjam 68.220 novos casos da doença, com registro de mais de 13 mil mortes. “A importância das campanhas é justamente despertar, estimular as pessoas a fazerem exames. A prevenção secundária, que visa o diagnóstico precoce, é feita através de exame clínico e exames complementares específicos com biópsia para casos suspeitos”, explica o Dr. Renato Santos, médico especialista em prevenção de câncer. “As chances de cura estão diretamente relacionadas ao estágio em que a doença for diagnosticada. Nos estágios iniciais, quando está localizada e não apresenta metástase, é possível remover a próstata e as células cancerígenas, com grandes chances de cura. Estima-se que 90% dos casos podem ser curados se diagnosticados precocemente”, completa a fundadora do LAL.

O câncer de próstata é normalmente detectado pelos exames de nível de PSA no sangue e pelo toque retal. Em alguns casos, pode ser recomendável realizar ressonância magnética e a biópsia. Como a doença está ligada ao envelhecimento, estima-se que 1 em cada 6 homens desenvolverá câncer de próstata após os 50 anos. Porém, fatores como tabagismo e obesidade podem ser considerados decisivos. “Ter um estilo de vida saudável significa reduzir os riscos de propensão para todos os tipos de câncer”, lembra Marlene. “O ideal para prevenir-se da agressividade do câncer de próstata é realizar os exames preventivos anualmente, a partir da idade recomendada pelos médicos (45 anos para negros e afrodescendentes e aqueles que possuem casos na família) e 50 anos para os demais. Se diagnosticado precocemente, a chance de cura é de até 90%”, conclui.

Leia mais: Seis maneiras de se manter motivado na academia

Neste ano, o Novembro Azul será veiculado em diversos canais de TV aberta e por assinatura, em emissoras de rádio, mídia impressa e mobiliário urbano. O tema da campanha, criada pela agência paulista 4/12, é “A vida não é um jogo”, associando a ele várias mensagens de incentivo. O lançamento aconteceu em São Paulo, na Avenida Paulista, dia 31 de outubro, com ações na Linha Amarela do metrô, dia 1º de novembro. Prédios e monumentos serão iluminados de azul e serão realizadas palestras e ações em locais de grande circulação de pessoas, além de muita informação nas mídias sociais.

Em agosto, o LAL alertou também para o câncer de pulmão (#RespireAgosto) e em dezembro será a vez do câncer de pele (#Livresuapele). Um dos autores do livro “Câncer de pele, conhecer para melhor combater”, o médico Dr. Renato Santos aproveita para convidar para o curso gratuito sobre prevenção baseado no livro, dia 23 de novembro, no auditório do Hospital 9 de Julho. Inscrições e mais informações no site.