Nova York vai proibir cigarros eletrônicos com sabor

NOVA YORK (Reuters) - O governador de Nova York, Andrew Cuomo, anunciou neste domingo que vai proibir todos os cigarros eletrônicos com sabores além de tabaco e mentol em resposta a um possível vínculo do produto a casos mortais de câncer de pulmão feito por autoridades de saúde dos Estados Unidos.

Cuomo afirmou que o chamado "vaping" é perigoso e que está preocupado que cigarros eletrônicos com sabores de frutas e doces estejam levando jovens a se viciarem em nicotina.

"Estes produtos são direcionados a jovens e são altamente efetivos ao atingi-los", disse o governador democrata a jornalistas, em Manhattan.

Quase 400 pessoas nos EUA foram diagnosticadas com uma doença pulmonar que pode ter relação com o uso de cigarros eletrônicos, segundo o Centro de Prevenção e Controle de Doenças do país. Seis delas morreram.

Pesquisadores ainda estão tentando entender o que causa a doença. Enquanto isso, autoridades de saúde fizeram alertas contra a compra de cigarros eletrônicos nas ruas e uso de óleo derivado de maconha.

Em Nova York, o comissário de saúde, Howard Zucker, vai formalmente proibir a venda dos chamados "e-cigarettes" com sabor, com exceção de tabaco e mentol, durante uma reunião de emergência marcada para esta semana, disse Cuomo.

O Estado de Michigan proibiu a venda de cigarros eletrônicos mais cedo neste mês. Na quarta-feira, o governo Trump anunciou planos para retirada de todos os produtos da categoria das lojas.