Nova presidente da Hungria condena “agressão” de Putin e planeja viagem a Varsóvia

BUDAPESTE (Reuters) - A presidente da Hungria, Katalin Novak, condenou a invasão da Ucrânia pela Rússia em sua cerimônia de posse neste sábado e disse que sua primeira viagem será à Polônia, em um aparente gesto para reparar as relações com Varsóvia.

A recusa da Hungria de enviar carregamentos de armas à vizinha Ucrânia e sua oposição a um embargo planejado pela União Europeia contra importações de petróleo russo abalou as relações entre Budapeste e Varsóvia, cujos dois governos nacionalistas são aliados de longa data na UE.

Novak, ex-parlamentar do partido Fidesz e aliada do primeiro-ministro Viktor Orbán, foi eleita ao cargo praticamente cerimonial de presidente em março, pouco antes de Orbán conseguir outra vitória por goleada nas eleições de 3 de abril.

“Na terça-feira, 17 de maio, viajarei a Varsóvia para me reunir com o presidente do povo polonês. Senhor presidente, querido Andrzej (Duda), eu agradeço a oportunidade de conversar, como convém aos amigos!”, disse Novak em seu discurso de posse.

“Nós condenamos a agressão de Putin, a invasão armada de um Estado soberano. Digamos um eterno não a qualquer tentativa que busque restaurar a União Soviética”, acrescentou.

(Por Krisztina Than)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos