Noites mal dormidas são vinculadas à "sensação de velhice"

·4 min de leitura
Os cientistas descobriram uma associação notável entre dormir mal e sentir-se mais velho. (Foto: Getty Images)
Os cientistas descobriram uma associação notável entre dormir mal e sentir-se mais velho. (Foto: Getty Images)

Sabemos que devemos nos esforçar para dormir por causa dos benefícios para a saúde física e mental, mas isso nem sempre é fácil.

Agora, ficou constatado que, para quem tem mais de 50 anos de idade, além da sonolência no dia seguinte inteiro, dormir mal também pode dar uma sensação de velhice.

De acordo com uma nova pesquisa, cientistas descobriram uma associação marcante entre dormir mal e a sensação geral de velhice. Além disso, padrões inadequados de sono também foram vinculados a percepções mais negativas do envelhecimento.

A pesquisa, realizada pela Universidade de Exeter e publicada pela revista Behavioural Sleep Medicine, encontrou uma conexão entre o sono ruim e a sensação física e mental de velhice.

Além disso, essa sensação de maior velhice do que a idade real foi vinculada a impactos sobre a saúde física, mental e cognitiva, como pioras na memória, diminuição da energia e redução da motivação.

Durante o estudo, os pesquisadores pediram para 4.482 pessoas com 50 anos ou mais fazerem testes cognitivos e preencher questionários sobre estilo de vida

Com um ano de diferença, os participantes responderam a duas pesquisas sobre o sono, com perguntas sobre mudanças negativas associadas à idade, como problemas de memória e maior dependência de outras pessoas.

Os pesquisadores notaram que muitos participantes comentaram sobre sua relação com o sono dentro dos questionários padrão do estudo.

Um deles comentou: “A forma como eu me sinto varia muito dependendo do meu sono. Sinto-me ótimo quando consigo dormir seis horas, então às vezes me sinto mais jovem e, às vezes, mais velho”.

Outro comentário dizia: “Tenho um problema de dor crônica e durmo muito pouco. Isso afeta muito a minha vida”.

Serena Sabatini, da Universidade de Exeter, uma das principais pesquisadoras do estudo, disse: “Nossa pesquisa sugere que quem dorme mal se sente mais velho e tem uma percepção mais negativa do envelhecimento".

“Isso indica que resolver problemas de sono pode promover uma melhor percepção do envelhecimento, o que poderia trazer outros benefícios para a saúde”.

De acordo com Sabatini, conforme vamos envelhecendo, todos passamos por mudanças positivas e negativas em muitas áreas da vida.

"No entanto, algumas pessoas percebem mais mudanças do que outras", explica ela.

"Sabemos que ter uma percepção negativa sobre o envelhecimento pode ser prejudicial à futura saúde física, mental e cognitiva, mas as pesquisas sobre o tema ainda não identificaram por que algumas pessoas têm essa visão negativa".

Padrões de sono inadequados também foram associados a percepções mais negativas do envelhecimento. (Foto: Getty Images)
Padrões de sono inadequados também foram associados a percepções mais negativas do envelhecimento. (Foto: Getty Images)

"Nossa pesquisa sugere que quem dorme mal se sente mais velho e tem uma percepção mais negativa sobre o próprio envelhecimento".

Embora sejam necessárias mais pesquisas para estudar a associação entre a percepção do envelhecimento e o sono, os pesquisadores acreditam que talvez a visão mais negativa influencie as duas coisas.

"No entanto, isso pode indicar que a solução de problemas de sono poderia promover uma melhor percepção do envelhecimento, o que poderia trazer outros benefícios para a saúde”, adiciona Sabatini.

A conexão entre envelhecimento e sono não é só para pessoas com mais de 50 anos de idade. Outra pesquisa apresentada no início deste ano constatou que as mães podem envelhecer mais devido às noites sem dormir nos primeiros seis meses após o parto.

Cientistas da UCLA constataram que dormir pouco no início da vida do bebê pode aumentar até sete anos na "idade biológica" da mulher, que pode ser bem diferente da idade cronológica.

O aumento da idade biológica pode agravar os riscos de doenças e antecipar a morte.

Análises de DNA constataram que a idade biológica das mães que dormiram menos de sete horas por noite durante seis meses era de três a sete anos maior que a daquelas que dormiram mais de sete horas.

Além de melhorar nossa percepção sobre o envelhecimento, dormir durante o número certo de horas também traz muitos outros benefícios para a saúde, como reduzir a probabilidade de obesidade, diabetes tipo 2 e pressão alta.

Além disso, ir dormir todos os dias na mesma hora também traz benefícios para a saúde. Os cientistas constataram que manter a rotina pode ser muito importante para o bem-estar físico.

Uma pesquisa recente da Universidade de Notre Dame revelou que dormir em horários diferentes do habitual, mesmo que seja com uma variação de apenas alguns minutos, pode aumentar os riscos de doenças cardíacas.

O “horário habitual” é definido como ir dormir mais ou menos dentro da mesma hora todas as noites. Por exemplo, se uma pessoa vai dormir entre as 22h e as 23h todas as noites, isso seria considerado como rotina.

Os cientistas concluíram que ir dormir um minuto fora da janela habitual já bastou para aumentar a frequência cardíaca em repouso da pessoa durante a noite toda e também no dia seguinte.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos