Nobel a Gurnah é 'uma vitória para Tanzânia e África', diz governo tanzaniano

·1 minuto de leitura
Foto divulgada pela Universidade de Kent, na Inglaterra, em 7 de outubro de 2021, que mostra Abdulrazak Gurnah, o ganhador do prêmio Nobel de literatura deste ano, lecionando na Universidade de Kent, em 10 de maio de 2016 (AFP/Simon JARRATT)

O governo da Tanzânia saudou a concessão nesta quinta-feira (7) do prêmio Nobel de Literatura ao escritor Abdulrazak Gurnah, nascido em Zanzibar e que vive no Reino Unido, e considerou que se trata de "uma vitória" para a Tanzânia e o continente africano.

"Sem dúvida, você fez justiça à sua profissão, sua vitória é também da Tanzânia e da África", escreveu no Twitter o porta-voz do governo tanzaniano.

O Nobel de literatura foi concedido nesta quinta-feira ao romancista, nascido em Zanzibar, mas exiliado no Reino Unido há 50 anos, por seus trabalhos da época colonial e pós-colonial na África Oriental, e o destino trágico dos refugiados presos entre esses dois mundos.

Gurnah é o primeiro autor africano a ser laureado com o maior prêmio literário desde 2003 e o quinto na história.

Nascido em 1948, Gurnah é conhecido, sobretudo, por seu romance "Paradise" ("Paraíso") de 1984, ambientado na África Oriental durante a Primeira Guerra Mundial.

ho-amu/twx/ri/blb/sba/eb/mb/rpr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos