No 1º fim de semana de flexibilização, cariocas burlam proibição de permanecer nas praias

·2 minuto de leitura

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - No primeiro fim de semana de flexibilização de parte das medidas restritivas adotadas para frear a transmissão do novo coronavírus, cariocas burlaram a proibição de permanecer nas areias das praias. O último decreto do prefeito Eduardo Paes (DEM), que passou a valer a partir de sexta-feira (9), manteve a suspensão da permanência nas areias, parques e cachoeiras. Nas praias, apenas as atividades físicas individuais continuam liberadas. Ainda assim, dezenas de pessoas aproveitaram a manhã de sol deste sábado (10) na praia do Recreio dos Bandeirantes, zona oeste da cidade. Algumas se reuniram em grupo, enquanto outras deitaram na areia para tomar sol. O mesmo aconteceu na orla da zona sul, onde vários cariocas tomavam banho de mar. Vendedores ambulantes também descumpriram o decreto, que proíbe atividades econômicas nas areias. Bares e restaurantes voltaram a funcionar na sexta-feira, com horário restrito até as 21h. Também puderam reabrir o comércio, cinemas, teatros, parques de diversão, visitações turísticas e museus. Três dos principais museus da cidade, no entanto, decidiram permanecer fechados mesmo com o relaxamento das restrições. O MAR (Museu de Arte do Rio), o MAM (Museu de Arte Moderna) e o Museu do Amanhã não receberão visitantes esta semana. Os museus estavam fechados desde o dia 22 de março, ainda antes da vigência do decreto que impôs restrições mais duras na cidade. Já o CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), no centro do Rio, receberá visitantes agendados, das 12h às 18h. O Parque Nacional da Tijuca, onde ficam o Corcovado e o Parque Lage, também reabriu. A visitação ao Cristo Redentor está liberada das 12h às 19h, com limite de 40% da capacidade até segunda-feira (12). Também está permitido visitar o Parque Lage, na zona sul do Rio, de 12h às 17h, com 50% da capacidade total e agendamento prévio no site da Escola de Artes Visuais. O bondinho do Pão de Açúcar estará em funcionamento todos os dias, de 12h às 19h, com entrada até as 18h. No mesmo horário também está liberada a visitação ao Aquário Marinho do Rio e à Roda-Gigante Rio Star (exceto nas quartas-feiras), na região portuária. Do dia 26 de março ao dia 8 de abril, a prefeitura determinou uma "pausa emergencial" na cidade, restringindo o comércio e o setor de lazer. Neste período, foram registradas 17.837 autuações, entre multas e interdições a estabelecimentos, infrações sanitárias, multas de trânsito, reboques e apreensões de mercadorias. Foram aplicadas 996 multas a bares, restaurantes e ambulantes e 190 estabelecimentos e festas foram fechados. Nesta sexta, o Rio tinha 94% dos leitos de UTI ocupados. Ao anunciar a flexibilização das medidas, a prefeitura afirmou que o boletim epidemiológico apontou uma queda no número de atendimentos de casos suspeitos da doença nas unidades de urgência e emergência. "Os números de internações e óbitos ainda são expressivos. Por isso, o município segue em nível de risco muito alto", informa a administração municipal.