Netflix e organização satanista entram em acordo após ameaça de processo por conta de 'O Mundo Sombrio de Sabrina'

(Imagem: divulgação Netflix)

A dor de cabeça que a Netflix teve nas últimas semanas por ter utilizado sem autorização uma estátua de propriedade de uma organização satanista em ‘O Mundo Sombrio de Sabrina’ parece ter chegado ao fim. A gigante do streaming e a Satanic Temple chegaram a um acordo para que o caso não chegue à Justiça.

O motivo do imbróglio era a apropriação da estátua de Baphomet, uma criatura alada com corpo humano e cabeça de bode, que aparece em várias cenas, como na imagem abaixo. “Eles não podem se apropriar do nosso design para promover o seu patético pânico satânico”, escreveu no Twitter Lucien Graves, líder da organização sediada em Detroit, no final de outubro, logo após a estreia da primeira temporada.

(Imagem: reprodução Netflix)

Ainda de acordo com Graves, o contexto no qual a série apresentava a figura de Baphomet não traduzia seu real significado, identificado com ideais de compaixão e empatia. “Eu estou realmente impressionado com as pessoas me perguntando porque tomaríamos atitudes legais contra a Netflix. Vocês teriam a mesma atitude se uma obra de ficção usasse uma mesquita real como o quartel general de uma organização terrorista?”, questionou na rede social durante o mês passado.

Quando a polêmica começou, a Satanic Temple exigia US$ 50 milhões por cada aparição da estátua na série. Os valores do acordo entre a organização, Netflix e Warner, que também produz a série, não foram anunciados. Segundo informações da Business Insider, o grupo conseguiu que fazer que os “elementos identificáveis da estátua de Baphomet” sejam reconhecidos nos créditos dos episódios que já foram filmados.

‘O Mundo Sombrio de Sabrina’ terá um episódio especial de natal em dezembro, e uma segunda temporada já garantida em 2019.