Nego do Borel e Sony rescindem contrato após reunião tensa com presidente da gravadora

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 15.10.2015: O cantor Nego do Borel durante o coquetel de premiação do

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Chega ao fim a parceria entre Nego do Borel, 27, e a Sony. O cantor e a gravadora firmaram um contrato em agosto de 2015 que previa gravação de álbuns e DVDs. Os problemas começaram a surgir quando o artista se envolveu em uma polêmica quando respondeu de maneira preconceituosa a um elogio da transexual Luisa Marilac. 

De acordo com a assessoria de Nego, a rescisão do contrato aconteceu em comum acordo. No comunicado o artista agradece à gravadora pelos trabalhos realizados no período em que esteve ali, e conta que se prepara para novos desafios, que em breve serão anunciados. 

"Tenho plena consciência sobre tudo o que representei para a gravadora, e principalmente sobre o tamanho dela no Brasil e no mundo. Estou muito feliz e grato a tudo o que vivemos juntos, mas é hora de viver novos sonhos e investir em novos projetos. Conto com vocês nesta nova jornada", disse o funkeiro no anúncio. 

Porém, segundo Extra, o ponto final desta relação trabalhista não foi tão pacífico assim. Fontes ouvidas pelo portal afirmam que Nego foi demitido pessoalmente por Paulo Junqueiro, presidente da Sony, após uma reunião em que os ânimos ficaram exaltados. 

Foram as mesmas pessoas que informaram que além de as polêmicas, a situação se complicou porque Nego se recusava a fazer a maioria das coisas que eram propostas. Além do mais, os números alcançados pelo cantor não teriam agradado a gravadora. Para eles - com exceção de "Me Solta" - as músicas do funkeiro só viravam hit quando cantadas em parceria com outros artistas.