Edu Sterblicth rejeita aplicativos de paquera: 'Não confio nas pessoas virtuais'

Enzo é um nerd isolado, de acordo com Sterblicht (Foto: Paulo Belote/Globo)

Vale tudo para encontrar um grande amor? Enzo, personagem de Eduardo Sterblicht na série ‘Shippados’, que estreia na sexta-feira (07), no Globoplay, passará por situações constrangedoras em busca do par perfeito.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

A solução do rapaz será encontrada apenas em um aplicativo de namoro, algo que o artista nem passa por perto na vida real.

Leia também

“Usei uma vez só. Nem lembro o nome do aplicativo. Não sou bom nisso. Não confio nas pessoas virtuais. Gosto de olho no olho”, afirma ele, que só se entrega às paixões que surgem naturalmente.

Assim como Ana Maria Braga, Sterblicht acha complicado utilizar ferramentas da tecnologia com essa finalidade sendo uma pessoa pública. Aos risos, comenta sobre a possibilidade de acharem que ele é um fake dele mesmo.

“Se o papo não for bom posso falar que era fake e está tudo certo (risos). É bem difícil. Mas tem o lado positivo também. Acho que os aplicativos deram uma liberdade sexual para a galera”, avalia o humorista.

Mais que uma comédia

Na série, Enzo e Rita (Tatá Werneck) se encontrarão depois de várias experiências ruins no aplicativo. Os dois dividirão suas histórias e terão mais um encontro bizarro para adicionar ao currículo, mas o tempo os aproximará de uma maneira especial.

Segundo Eduardo, a história é interessante por ser muito mais que uma comédia. Enzo, Rita e os outros personagens envolvidos na trama têm uma mensagem profunda para passar ao público. Será que as relações não estão muito superficiais? Para o artista, ‘Shippados’ ironiza justamente essa questão.

“Fiquei empolgado quando li o texto da Fernanda Young. Me pegou por mostrar como estão as relações hoje em dia. Artisticamente, é uma proposta muito interessante”, diz o ator, que avalia seu personagem como um “nerd isolado”.

O quarto de Enzo mostra sua mania de organização e limpeza (Foto: Paulo Belote/Globo)

Enzo, segundo ele, tem mania de limpeza e dificuldade para se relacionar com os amigos, mas não é só um cara engraçado por causa desse jeitão. Eduardo acredita que tudo está ligado ao passado dramático do personagem.

“Todo mundo é nerd em algo. Gosto de ‘Chaves’ e Beatles, por exemplo. O Enzo é nerd em várias coisas. Acho que ele era um cara que brincava sozinho quando era criança. Ele é mais solitário do que nerd. A forma como ele lida com as pessoas é porque ele é sozinho e vai se encontrando aos poucos com a ajuda da Rita”, afirma.

Rita e Enzo vão perceber que nasceram um para o outro (Foto: Paulo Belote/Globo)

A depressão

Eduardo Sterblicht entende bem o que é sentir a solidão mesmo estando rodeado de pessoas. O ator, que começou sua carreira no ‘Pânico’, já teve depressão e pensamentos suicidas. Estabilizado no momento, acredita que todo mundo tem seu lado depressivo, mas alguns despertam isso com mais facilidade.

“Noto que acham delicado falar sobre o assunto, ficam com receio de perguntar. Mas é muito recorrente. As pessoas são muito depressivas e só não conhecem esse lado, não sabem lidar. Já tive crise de ansiedade e pânico, mas entendi que na vida a gente tem que se entender até quando está triste”, afirma ele.

Para o ator não é a consciência de um depressivo que fica entristecida, e sim o ego. “O ser humano se boicota com uma facilidade muito grande. Descobri que tenho que usar isso a meu favor. Aproveitar para me comunicar enquanto artista. Mostrar para as pessoas que as entendo”, explica.

Abordar temas difíceis, como as doenças psicológicas, tornou-se um objetivo de Eduardo em seus trabalhos. O humor, segundo ele, quebra barreiras e traz informação. “Esta série fala sore isso. Tem muita dor ali. Mas a gente fala tudo de uma forma criativa para atingir principalmente os mais jovens”, enfatiza.

Interatividade na TV

Foto: Paulo Belote/Globo

A Globo surpreendeu ao divulgar o perfil oficial da personagem de Paolla Oliveira, a influenciadora Vivi Guedes de ‘A Dona do Pedaço’, nas redes sociais. O mesmo aconteceu com os personagens Enzo e Rita da nova série do Globoplay.

Eduardo conta que achou a ideia incrível e diz que não participa integralmente das atualizações do Instagram do Enzo por falta de tempo, mas dá ideias e produz conteúdo para as redes sociais do personagem.

“A internet tem uma linguagem própria e escolhe o que vai dar certo ou não. É sempre melhor você fazer alguma coisa e ver se vai pegar do que não fazer nada. A TV precisa interagir com esse público”, avalia.

Ainda segundo ele, propor uma interação entre personagens e pessoas reais é a coisa mais louca do mundo. Mas tem sido divertido. Logo nos primeiros dias em que o perfil entrou no ar, inclusive, várias pessoas acharam que Rita e Enzo eram fakes de Tatá Werneck e Eduardo Sterblicht.

Para deixar a história ainda mais engraçada, os dois resolveram dar em cima de pessoas conhecidas. Rita até levou um fora de Fábio Porchat. Veja abaixo:

Foto: Reprodução/Instagram

“A ideia não é ter um milhão de seguidores. Se tiver vai ser ótimo, mas se não tiver é até melhor porque as pessoas interagem melhor com a gente. Estamos produzindo materiais pensando nisso”, conta ele, que já tirou várias fotos com Tatá para serem postadas aos poucos.

“A Tatá está grávida e trabalhando bastante por causa do ‘Lady Night’, então essas fotos do perfil da Rita são antigas. Nós já havíamos trabalhado juntos no teatro e em festivais, mas a parceria nessa série só aumentou a nossa amizade”, conta.