"Não somos racistas", diz príncipe William após entrevista de Meghan e Harry

Michael Holden
·1 minuto de leitura
Príncipes William e Harry em inauguração de centro esportivo em Londres

Por Michael Holden

LONDRES (Reuters) - O príncipe William disse nesta quinta-feira que a realeza britânica não é racista depois que Meghan, esposa de seu irmão caçula, Harry, disse que um membro não identificado da família real perguntou o quão escura a pele de seu filho, Archie, poderia ser.

A revelação veio à tona durante uma entrevista explosiva que Harry, de 36 anos, e Meghan, de 39, deram à apresentadora Oprah Winfrey, que foi exibida no domingo e lançou a monarquia britânica em sua maior crise desde a morte da princesa Diana, mãe de William e Harry, em 1997.

Durante uma visita a uma escola do leste de Londres, William disse que não conversou com Harry desde que a entrevista foi transmitida, pouco mais de três dias atrás.

"Ainda não falei com ele, mas falarei", disse William, de 38 anos.

Indagado por um repórter se a família real é racista, William respondeu: "Não somos uma família nem um pouco racista".

Na terça-feira, o Palácio de Buckingham disse em um comunicado que as questões de raça levantadas por Meghan são preocupantes e que serão tratadas com muita seriedade, mas enfatizou que "algumas lembranças podem variar" e que se trata de um assunto familiar que deveria ser tratado privadamente.

Durante a entrevista, Harry explicitou o quanto se afastou de outros familiares, dizendo que seu pai, o príncipe Charles, primeiro na linha de sucessão do trono, parou de atender suas ligações a certa altura e que existe um "espaço" em seu relacionamento com William.

"Amo muito William, ele é meu irmão... mas estamos em caminhos diferentes", disse.