'Não podemos fazer sempre o melhor', diz príncipe Harry sobre viagem de jatinho

**ARQUIVO** AMSTERDÃ, HOLANDA, 24.07.2018: O príncipe Harry durante coletiva de imprensa na Internacional AIDS2018, em Amsterdã, na Holanda. (Foto: Brazil Photo Press/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O príncipe Harry, 34, teve a oportunidade de comentar, em um evento, a polêmica que surgiu quando ele e sua mulher, Meghan Markle, 38, foram criticados por usar um jatinho para visitar o amigo Elton John, 72.

"Não podemos fazer sempre o melhor e, como ninguém é perfeito, nós todos temos a responsabilidade por nosso impacto individual. A questão é o que fazemos para equilibrar esse impacto", afirmou o príncipe em um evento em Amsterdã, segundo a revista americana People.

Nessa ocasião, ele e a família viajaram em um voo comercial. "Passo 99% da minha vida viajando em voos comerciais. Ocasionalmente há a necessidade e a oportunidade de garantir a segurança de minha família, o que é genuíno", defendeu o príncipe. 

Na viagem, Harry firmou uma parceria, por meio da Royal Foundation, com as principais empresas do setor de viagens —Booking.com, SkyScanner, CTrip, TripAdvisor e Visa—, formando o Travalyst.

Segundo o príncipe, "é uma coalizão inédita, uma frente unida de empresas dedicadas a tornar o turismo um motor de sustentabilidade" e "criada para mobilizar a indústria de viagens como um catalisador do bem, visando para transformar o futuro do turismo para todos". 

Na maioria das economias do mundo, apenas 5% do dinheiro gasto em turismo volta para a comunidade local. Harry quer ter a "certeza de que o sistema seja modificado de modo que faça esse retorno acontecer de forma mais efetiva". 

A POLÊMICA

No fim de semana de 17 de agosto, o jornal britânico Sun acusou o casal real -o neto da rainha Elizabeth 2ª e sua esposa e ex-atriz- de ser "guerreiros ecológicos" hipócritas por voarem em jatos particulares apesar de expressarem preocupação com a natureza e a conservação ambiental.

Elton John manifestou apoio ao príncipe Harry e sua esposa, Meghan Markle, qualificando-os como um casal pé no chão e trabalhador que está sendo atacado injustamente pela mídia por ter usado jatos particulares para visitá-lo no sul da França.

John lembrou sua amizade com a mãe de Harry, a falecida princesa Diana, em uma série de tuítes publicada nesta segunda-feira (19) na qual apelou à imprensa para que pare com os quase diários "assassinatos implacáveis e falsos de seu caráter".

O cantor de "Rocketman" reagia a críticas surgidas no Reino Unido a duas férias recentes do duque e da duquesa de Sussex e de seu bebê de três meses, Archie, à Espanha e ao sul da França, onde o casal se hospedou na vila de John, em Nice.

Ele acrescentou que ofereceu um jato particular para Harry e Meghan irem à sua casa por motivos de segurança, mas mencionou uma contribuição à entidade Carbon Footprint Ltd, que compensa emissões de carbono financiando projetos ecológicos. Mas alguns ambientalistas disseram que tais viagens deveriam ser afastadas de vez. 

"Um avião de carreira é mais de dez vezes mais poluidor do que um trem moderno, e jatos particulares são dez vezes ainda mais poluidores", disse Paul Morozzo, do Greenpeace britânico. "É de importância vital que todos os que voam com frequência reduzam o número de voos que tomam se for para confrontarmos a emergência climática."