Após polêmicas, músicas de Kanye West correm risco de serem removidas do Spotify?

Kanye West na edição anual do Los Angeles Mission's Annual Thanksgiving em 24 de novembro de 2021 in Los Angeles, Califórnia. (Foto: David Livingston/Getty Images)
Kanye West na edição anual do Los Angeles Mission's Annual Thanksgiving em 24 de novembro de 2021 in Los Angeles, Califórnia. (Foto: David Livingston/Getty Images)

Nos últimos dias, Kanye "Ye" West perdeu diversos contratos milionários após fazer comentários antissemitas. Diante das polêmicas, Daniel Ek, CEO do Spotify, se pronunciou a respeito do caso do rapper e negou que as canções do artista corriam o risco de serem banidas.

"É apenas a música dele, e a música não viola nossas políticas", declarou em entrevista à "Reuters". De acordo com o CEO, a responsabilidade ficará nas mãos da Def Jam, antigo selo de Ye. "É decisão da gravadora dele, se querem tomar medidas ou não," completou.

Com isso, a remoção das músicas de Kanye só aconteceriam caso as letras contassem com discurso de ódio, antissemitas ou direcionadas a outras minorias. A mesma política vale para podcasts disponíveis na plataforma, por exemplo.

Em comunicado enviado à "Reuters", a Def Jam afirmou que "não há lugar para antissemitismo em nossa sociedade", mas não informou se tomará medidas para remover as canções do rapper das plataformas.

Nesta quinta-feira (27), a Apple Music gerou polêmica ao remover a playlist "Kanye West Essentials", que reunia os maiores hits da carreira do cantor. No entanto, a plataforma de áudio ainda não informou se as canções serão removidas de forma definitiva.

Entenda o caso

Kanye West revelou que chegou a perder US$ 10 bilhões ao fazer comentários antissemitas. Diversas empresas decidiram romper contratos com o artista, incluindo Adidas, GAP e Balenciaga.

Essa semana, os advogados que representavam West em seu processo de divórcio com Kim Kardashian abandonaram o caso. Bernard Clair e Bob Cohen foram a quinta dupla contratada pelo artista ao longo do processo.

Além disso, as contas oficiais de West foram suspensas do Twitter e do Instagram após ele usar camisa com a frase "Vidas Brancas Importam" no Paris Fashion Week.