A música irreverente que revolucionou a moda

rock (getty images)
Há mais de 70 anos o rock n roll ditou, e dita, a moda (Foto: Getty images)

Originário dos Estados Unidos, o Rock’n Roll, ou apenas rock, como passou a ser chamado, surgiu na década de 1950 a partir da mistura de estilos musicais populares na época, como o Jazz, o Country e o Blues. O ritmo que conquistou rapidamente a juventude num cenário pós-guerra logo se mostrou muito mais que apenas um novo gênero musical e se espalhou pelo mundo inteiro como um fenômeno cultural de proporções inéditas.

Pautado na atitude, na liberdade de expressão e no respeito à individualidade, o rock representa um estilo de vida, um protesto ao status quo, uma verdadeira filosofia. Desse pensamento revolucionário que se utiliza da música para transformar a sociedade, nasceu em 13 de julho de 1985 o Live Aid, um megaevento beneficente com o objetivo de conscientizar a população mundial e combater a fome na Etiópia.

O evento, idealizado pelo cantor, compositor e humanista Bob Geldof, contou com a participação de grandes nomes do rock, como Madonna, Queen, David Bowie, Rolling Stones, Paul McCartney e Black Sabbath, em shows simultâneos realizados na Inglaterra e nos Estados Unidos e transmitidos ao vivo para 100 países. O sucesso da inciativa foi traduzido pela arrecadação de 150 milhões de libras, o equivalente a quase 1 bilhão de reais hoje em dia. Foi a partir daí que o dia 13 de julho passou a ser considerado o Dia Mundial do Rock, como forma de imortalizar o êxito do evento, por sugestão do baterista e compositor Phil Collins, que também participou do Live Aid em 1985.

Com tanta relevância no contexto social e tamanho impacto sobre o comportamento das gerações que atravessou, não é de se espantar que o rock tenha influenciado também a moda ao longo do tempo. E se engana quem acha que os ícones do visual rocker se resumem a jaqueta de couro, camisetas de banda e camisa xadrez. Confira a seguir como o rock ditou tendência e imortalizou itens atemporais através das décadas.

Classic Rock vibes

A jaqueta Perfecto é um dos ícones que o rock eternizou na moda. A peça frequentemente protagonizava o visual de Elvis Presley, um dos primeiros grandes nomes do Rock’n Roll. Mas ela não é a única grande contribuição do Classic Rock, como é chamado o rock dos anos 50, para a moda. Elvis, o Rei do Rock, também foi um dos responsáveis por popularizar a calça jeans como peça-chave do visual rebelde e super cool que conquistou a juventude da época.

Registro nas ruas da capital francesa durante a Paris Fashion Week, em março de 2022 (Foto: Edward Berthelot/Getty Images)
Registro nas ruas da capital francesa durante a Paris Fashion Week, em março de 2022 (Foto: Edward Berthelot/Getty Images)

Botas Chelsea – o 60’s comeback do momento

É isso mesmo: as botas Chelsea, hit do inverno 2022, se tornaram tendência na década de 1960 graças aos Beatles. O combo terninho bem ajustado ao corpo mais bota era quase que um uniforme para a banda britânica de rock.

Registro do Governors Ball Music Festival no Citi Field, em junho de 2022 (Foto: Daniel Zuchnik/Getty Images)
Registro do Governors Ball Music Festival no Citi Field, em junho de 2022 (Foto: Daniel Zuchnik/Getty Images)

Mais estilo, menos rótulos

A moda agênero ainda é tabu e pode parecer um movimento recente, mas foi na década de 1970 que as barreiras de gênero começaram a ser rompidas na moda, graças a ícones do Glam Rock. O cantor e compositor David Bowie e a banda Roxy Music são alguns dos nomes que impulsionaram essa estética. Roupas justas, saltos plataformas, brilho, animal print, maquiagens extravagantes... tudo isso passou a compor o visual cotidiano de jovens, fossem moças ou rapazes.

Billy Porter na festa do Oscar da Vanity Fair, em março de 2022 (Foto: Arturo Holmes/FilmMagic)
Billy Porter na festa do Oscar da Vanity Fair, em março de 2022 (Foto: Arturo Holmes/FilmMagic)

O estilo boho também faz parte dessa lista

Apesar de ser fortemente associado ao movimento hippie, o estilo boho também teve grande contribuição do rock para se consolidar na estética dos anos 70. Grandes nomes do Folk Rock, como Janis Joplin e Jimi Hendrix, ajudaram a difundir o visual despreocupado e boêmio da contracultura com tecidos fluidos e naturais, tie-dye, lenços, coletes e chapéus.

Sonia Lyson em Berlim, na Alemanha, em agosto de 2017 (Foto: Christian Vierig/Getty Images)
Sonia Lyson em Berlim, na Alemanha, em agosto de 2017 (Foto: Christian Vierig/Getty Images)

O icônico all black

O visual todo preto, que figura no imaginário de muita gente quando o assunto é rock, surge somente entre os anos 70 e 80, com forte influência do Punk Rock e do Heavy Metal. Para dar um ar mais dramático ao look, os acessórios e aplicações se tornaram indispensáveis: muito couro, braceletes e chokers, correntes, spikes, coturnos... Reconhece algum desses itens entre as tendências atuais?

Registro do AfroPunk Atlanta no Atlantic Station Pinnacle, em setembro de 2021(Foto: Paras Griffin/Getty Images)
Registro do AfroPunk Atlanta no Atlantic Station Pinnacle, em setembro de 2021(Foto: Paras Griffin/Getty Images)

E por falar em acessórios...

Os óculos escuros sempre estiveram muito presentes na estética do rock. O modelo aviador é o mais característico de todos desde o surgimento do gênero musical. Não é à toa que se tornou um clássico.

Tamara Kalinic nas ruas de Milão durante o Milan Men's Fashion Week, em janeiro de 2022 (Foto: Edward Berthelot/Getty Images)
Tamara Kalinic nas ruas de Milão durante o Milan Men's Fashion Week, em janeiro de 2022 (Foto: Edward Berthelot/Getty Images)

Menos é mais

Jeans destroyed, tênis All Star, cardigan de tricot, camisa de flanela xadrez, camiseta listrada... Todos esses itens, que se tornaram básicos do guarda-roupa contemporâneo e peças-chave do estilo normcore, foram herdados do grunge. Este subgênero do rock explodiu nos anos 90 e difundiu entre seus adeptos um lifestyle mais despojado e menos consumista. Kurt Cobain foi um dos principais nomes da música que impulsionou essa estética despreocupada em que, além de básicas, as peças eram usadas à exaustão. A atriz Winona Ryder, que vivia o auge de sua carreira no cinema neste mesmo período, também foi um ícone do estilo grunge que influenciou – e muito – a moda da época.

Winona Ryder no Paramount Studios, em abril de 2022 (Foto: Amy Sussman/Getty Images for Deadline Hollywood)
Winona Ryder no Paramount Studios, em abril de 2022 (Foto: Amy Sussman/Getty Images for Deadline Hollywood)

Falando em ícones...

O slip dress – pasme! – também é uma das contribuições do rock para a moda e muito se deve à supermodelo Kate Moss, que se tornou um dos principais nomes da indústria nos anos 90 e a maior referência do estilo grunge. A peça, que recentemente voltou a ser tendência, era sempre muito presente no visual da modelo. E a combinação com coturno, embora pareça super atual, também deriva da estética desse período.

Modelo Sora Choi durante a Semana de Moda de Milão, em setembro de 2021 (Foto: Melodie Jeng/Getty Images)
Modelo Sora Choi durante a Semana de Moda de Milão, em setembro de 2021 (Foto: Melodie Jeng/Getty Images)

Uma história sem fim

Dos anos 2000 em diante, deu-se início ao resgate de tendências impulsionadas pelo rock desde seu surgimento, repaginadas por novos ídolos. A cantora baiana Pitty e a canadense Avril Lavigne são dois dos grandes ícones do início do milênio que trouxeram de volta aos holofotes os spikes e as correntes do punk rock, misturados com saias de tule e calças cargo numa estética caótica bem característica desse período.

Avril Lavigne no iHeartRadio ALTer EGO, realizado em janeiro de 2022, na California. (Foto: Emma McIntyre/Getty Images for iHeartRadio)
Avril Lavigne no iHeartRadio ALTer EGO, realizado em janeiro de 2022, na California. Foto: Emma McIntyre/Getty Images for iHeartRadio)

Hoje, com mais de sete décadas em cena, esse resgate de momentos marcantes do rock na moda se mantém com o surgimento de novos artistas que influenciam as gerações atuais. A banda italiana Maneskin é um dos nomes a citar e traz claras referências do Glam Rock em sua estética livre de estereótipos de gênero. Mais contemporâneo impossível!

Damiano David, Victoria De Angelis, Thomas Raggi, and Ethan Torchio do Måneskin no iHeartRadio ALTer EGO, realizado na Califórnia em janeiro de 2022. (Foto: Emma McIntyre/Getty Images for iHeartRadio)
Damiano David, Victoria De Angelis, Thomas Raggi, and Ethan Torchio do Måneskin no iHeartRadio ALTer EGO, realizado na Califórnia em janeiro de 2022. (Foto: Emma McIntyre/Getty Images for iHeartRadio)