Mundo registra maior número de mortes por Covid-19 em um único dia

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O mundo bateu, na terça-feira (24), o recorde de mortes por Covid-19 registradas em um único dia, segundo informações da plataforma de acompanhamento da pandemia da Universidade Johns Hopkins (EUA). Na terça, foram registrados 12.785 mortes pelo novo coronavírus. O recorde anterior, ainda de acordo com o monitor da universidade, havia ocorrido no último dia 20, com 11.840 novo óbitos. O grande número de mortes coincide com uma nova onda de Covid-19 que assola a Europa, a situação que continua preocupante dos Estados Unidos e o aumento de infecções no Brasil nas últimas semanas. Após alcançar uma situação mais controlada da pandemia, a Europa passou a relaxar as medidas de distanciamento social. Ainda assim, autoridades de saúde e membros da OMS (Organização Mundial da Saúde) demonstravam preocupação com comportamentos de riscos, principalmente entro os mais jovens durante o verão europeu. Recentemente, o continente europeu viu o crescimento das infecções, seguido pelo aumento das mortes, inclusive em países que já tinham sido fortemente afetados na primeira onda, como Itália, Reino Unido e França. O aumento das mortes devido ao novo coronavírus provocou preocupação extra com a proximidade das festas de fim de ano, o que poderia agravar ainda mais o cenário devido a reuniões de familiares e amigos. Pensando nisso, governos europeus começaram a criar regras limitando os encontros de Natal, a fim de evitar aglomerações e aumento da disseminação do vírus. Nos EUA, o feriado de Ação de Graças no país, que ocorre nesta quinta-feira (26), também é visto de forma preocupante por causa de seu potencial de espalhar o coronavírus Sars-CoV-2. Em contraste com a Europa, porém, os EUA em nenhum momento conseguiram um cenário de maior calmaria. Dessa forma, o crescimento de casos e mortes no país ocorreu sobre número anteriores ainda elevados. O Brasil, a exemplo dos EUA, não chegou a alcançar situação controlada da pandemia e, neste momento, apresenta contaminação crescente.