Multitasking: liberte-se da ilusão de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo

·2 minuto de leitura
Vector illustration concept of businesswoman practicing meditation in the office. Girl with many hands sits in the lotus position, the thought process, the inception, and the search for ideas. Yoga
Multitasking: liberte-se da ilusão de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo. Foto: Getty Images

Se você já se vangloriou de ser "multitasking" (termo em inglês para o ato de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo), saiba que está transformando uma necessidade em uma virtude. E que isso pode vir a fazer mal para sua saúde mental.

"O inconsciente é uma máquina fantástica que, nesse momento, sem você se dar conta, está controlando seu nível de glicemia, a filtragem do sangue pelo rim, entre outras coisas. Mas, quando trago para a consciência mais de uma coisa ao mesmo tempo, na verdade, só pulo de galho em galho", explica o neurologista Fabiano Moulin, médico assistente do Departamento de Neurologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp/EPM) e membro titular da Academia Brasileira de Neurologia (ABN).

Leia também

Saúde mental

Segundo o neurologista, a consciência lida com o novo, com o imprevisível e por isso só funciona adequadamente com atenção. Ele fala que, quanto mais abas abrimos (em uma alusão às abas que se abre no computador), nessa busca por sermos mais produtivos, mais pagamos o custo com tarefas mal executadas.

Justamente por ser uma maneira não natural de lidarmos com o que precisamos fazer, há risco para a saúde. "O multitasking é um caminho para o adoecimento mental", diz o neurologista. O que aos ouvidos de muitos parece um elogio acaba resultando em ansiedade, depressão e síndrome de burnout.

Preste atenção na sua atenção

Como evitar essa armadilha? Prestando atenção na sua atenção, de acordo com o neurologista. Mas Moulin não gosta de vilanizar o "multitasking" e diz que, usado com parcimônia, ele pode ser útil. "Se você tiver uma intencionalidade nesse esforço, um propósito, ok. É preciso no fim do dia ter a sensação de realização, não de que passou as horas só reagindo ao que era colocado na sua frente." O recado é claro: evite o piloto automático.

O especialista afirma que precisamos ter um papel ativo dentro da nossa cabeça. "Preste atenção nas suas emoções quando estiver fazendo algo. Está se sentindo entediado? Querendo fazer outra coisa para buscar engajamento ou distração? Pare e nomeie. Ao prestar atenção onde sua atenção está indo, você consegue gerenciá-la e resistir à tentação de pular para outra tarefa", comenta.

Meditação, terapia e mesmo atividade física são algumas ferramentas que você pode lançar mão para treinar sua atenção. "Como qualquer habilidade cognitiva, o multitasking pode ser bom ou ruim. A pergunta que tem de ser respondida é: quem está servindo quem?", finaliza o neurologista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos