Mulheres negras e pobres são as maiores vítimas do aborto precário no país

Fernando Rocha
·1 minuto de leitura

As maiores vítimas de aborto no Brasil são negras, moradoras de periferias e menores de 14 anos. A prática do aborto é considerada crime pelo Artigo 124 do Código Penal. Ainda assim, uma em cada 5 mulheres de até 40 anos já abortou e cerca de 1 milhão de abortos clandestinos são feitos por ano no Brasil. Quem comenta como a sociedade brasileira lida com estes dados no ‘É Normal?’ desta semana é o ginecologista e obstetra Jefferson Drezett.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

“O Estado brasileiro faz um escolha desde 1980, há 40 anos, de que o aborto no Brasil deve ser tratado como crime. Há situações essas duas do Código Penal em que não é crime: se for para evitar a morte da gestante ou no caso de uma gravidez decorrente de violência sexual. Mas recentemente, em 2012, o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou também que não é crime a interrupção em caso de anencefalia”, explica o profissional.

Veja também

“Na medida que o aborto é proibido em outras situações, e que as mulheres continuam tendo suas razões legítimas para a interrupção de uma gestação, elas acabam tendo que realizar o aborto de maneira clandestina, absolutamente fora de qualquer regulação, fiscalização, qualidade ou controle”, completa o obstetra.

Assista ao vídeo e confira o que o Dr. Jedderson diz, também, sobre feminicídio.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube