Mulher trans processa Tinder após ter perfil removido do app

Reprodução/Facebook Ariel Hawkins

A luta pela aceitação de pessoas trans na sociedade continua, mas ainda existe muito preconceito não só das pessoas ao nosso redor, mas também de empresas. Uma jovem de Portland está processando o Tinder por ter seu perfil excluído por ser transgênero.

Leia mais: Tinder é acusado de proibir mulher trans de usar o app

Ariel Hawkins teve o perfil deletado após editá-lo se identificado como trans. O Tinder enviou um e-mail dizendo que ela havia violado os termos de serviço do aplicativo e a jovem resolveu entrar com uma ação judicial contra a empresa.

“Eu só queria encontrar um amor como todo mundo. Estou procurando por encontros, estava tentando arrumar um namorado”, contou ao Willamette Week. Segundo ela, isso nunca aconteceu em nenhum outro aplicativo de relacionamentos, em que todos se identificou como transgênero no perfil.

Ariel diz que que gosta de deixar clara sua condição para evitar possíveis “situações de perigo”. O caso vai contra ao que o Tinder havia afirmado sobre suas políticas de serviço, permitindo que usuários de identifiquem com diferentes gêneros.

O aplicativo chegou a fazer uma campanha à favor da liberdade de gênero com a ativista trans Munroe Bergdorf. É possível se classificar com quase 40 opções de gênero, incluindo agênero, não-binário e neutro.

Leia mais: Mulher trans se torna a primeira do mundo a amamentar

“Com toda a divisão no mundo, é particularmente importante intervir e fazer uma declaração de inclusão e aceitação”, disse Sean Read, chefe-executivo do Tinder, na época. Procurada pelo The Independent, a empresa enviou a seguinte declaração:

“Embora não iremos comentar litígios pendentes, podemos dizer, categoricamente, que não banimos usuários de Tinder por sua identidade de gênero. No Tinder, acreditamos que o gênero não é binário e nós apoiamos inclusão e aceitação de todas as pessoas, por isso que oferecemos mais de 37 opções de identidade de gênero para nossos usuários nos Estados Unidos”.