Mulher se apaixona por homem trans, que já foi sua rival

Rivais na adolescência se tornam namorados – Reprodução/Metro

Quando Lillie Semmens conheceu Mhari Sellstrom, ele ainda era uma garota. No entanto, durante a adolescência os dois não tinham uma ótima relação.

Receba novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais) no seu Whatsapp

“Quando eu era mulher ela me odiava e me achava feia”, relembra Mhari. “Você era arrogante e mal educada”, responde Lillie. As inglesas passaram a juventude em meio a rivalidade, mas tudo mudou quando Mhari finalmente resolveu assumir sua verdadeira identidade.

O jovem começou a fazer a transição há cinco anos e Lillie passou a enxergar um outro lado de sua personalidade. Eles acabaram se aproximando mais e, como resultado, se apaixonaram e hoje são namorados.

Leia mais: Homens transexuais podem engravidar? Especialistas explicam

“Sentia que estava no corpo errado. É uma sensação muito estranha acordar e saber que é um garoto e se olhar no espelho e ver outra coisa. Acho que hoje em dia as pessoas estão mais informadas sobre o que se passa com elas. Na época, não sabia como começar”, conta Mhari.

O processo de transição não foi fácil e o rapaz teve que passar por psicólogos e outros especialistas para começar a tomar hormônios masculinos. Quem o ajudou com as injeções e com o suporte emocional foi Lillie, a garota que antes odiava e agora está apaixonado.

No início, Lillie se considerava lésbica. “Quando era mais gorda, nunca atraía a atenção dos homens, então pensei que fosse lésbica. Sempre namorei garotas, mas quando comecei a perder peso, os rapazes passaram a me notar”, explica.

Mhari foi seu primeiro namorado depois de várias experiências com mulheres, mas ela prefere não se rotular. “Não diria que sou isso ou aquilo, eu me apaixono pela pessoa. Gosto dele por quem ele é, não por seu gênero ou coisa do tipo”.

Leia mais: Uma mulher transgênero conta como se revelou para a sua família paquistanesa: “Palavras como ‘transição’ não existem em Punjabi”

O amor de Lillie ajudou muito o processo de transição do rapaz e ele espera que a relação continue firme. “Lillie me apoia em todas as pequenas coisas. Ela não é o tipo de pessoa que diz que não sou capaz de fazer algo. Ela apenas me apoia dizendo que eu devo me jogar e, se eu cometer algum erro, ela estará presente para me ajudar a consertar o estrago”.