Mulher que supostamente deveria ter morrido de câncer, hoje já tem três filhos

Créditos de imagem: Cortesia de Ashley Hallford

Por Redbook

Quando Ashley Hallford, hoje com 35 anos de idade, foi diagnosticada com câncer durante sua gravidez em 2007, ela não tinha ideia das lutas que enfrentaria dali em diante. Dez anos mais tarde, embora os médicos tenham lhe dado apenas algumas semanas de vida, Ashley é mãe de três crianças saudáveis. Sua história serve como lembrete de que um prognóstico devastador nem sempre representa o fim da estrada da fertilidade.

Ashley descobriu que estava com câncer na 33 ª semana de sua primeira gravidez, quando sentiu dores no pescoço, de acordo com o TODAY. Os médicos não queriam fazer a cirurgia de remoção antes do parto. Sendo assim, foi iniciado um trabalho de parto induzido e ela deu à luz um bebê saudável vários dias depois do diagnóstico. Os médicos removeram o tumor, tirando parte dos músculos da mandíbula e danificando um nervo facial, no procedimento.

Até então não se sabia exatamente o tipo de câncer que ela tinha. “Não foi possível determinar a origem do tumor”, disse a oncologista de Hallford, Dra. Debra Miller, do Southeastern Medical Oncology Center, em Jacksonville, Carolina do Norte, ao TODAY. “Nós consultamos outros médicos em todo país, mas não descobrimos do que se tratava”.

Poucos meses depois, em janeiro de 2008, os médicos encontraram outro tumor, desta vez no cérebro.

“Foi aí que fiz uma tomografia completa”, disse Ashley ao 11Alive. “E foi quando outros tumores foram descobertos. A essa altura, eles pararam de tentar descobrir o que era, acreditando que precisavam me tratar, ou eu morreria”. Ashley descobriu que o câncer havia se espalhado para o pulmão e o fígado. Os médicos acreditavam que o câncer já estava no estágio quatro, o mais mortal.

Créditos de imagem: Cortesia de Ashley Hallford

Ashley começou o tratamento e preparou mensagens para seu filho, no caso dela não sobreviver. “Me pediram para tirar fotografias, fazer vídeos e escrever um diário para o meu filho”, disse ela ao TODAY. “A minha letra estava terrível e eu mal conseguia enxergar”. Sua pálpebra direita havia se fechado devido ao tumor no cérebro, e ela já não conseguia abri-la.

Créditos de imagem: Cortesia de Ashley Hallford

Apesar do terrível diagnóstico, Ashley soube que estava oficialmente em remissão no ano de 2008, e terminou seu tratamento em 2009. A má notícia foi que o tratamento fez seu corpo entrar em menopausa precoce. Em 2010, após consultar um especialista em fertilização e os médicos recomendarem uma barriga de aluguel, Ashley desistiu de ter mais filhos.

Mas em 2012, um exame revelou que ela estava grávida… outra vez. “No dia do parto, todos os meus médicos respiraram aliviados”, disse ela ao Today.

E em maio do ano passado, antes de fazer um Raio-X do cérebro (para garantir que continuava em remissão), ela descobriu que estava grávida novamente. Ashley deu à luz um menino saudável em janeiro deste ano.

Não é de se espantar que ela e seus familiares estejam radiantes com os acontecimentos dos últimos nove anos. “É preciso manter a positividade”, disse ela ao TODAY. “Os médicos me deram apenas algumas semanas de vida. Nunca desista. Não perca a esperança. Nunca pare de lutar.”

Créditos de imagem: Cassie Connelly Photography

Mallory Schlossberg
Redbook