Mulher-Hulk | Quem é o Senhor Imortal que aparece na série do Disney+?

Mulher-Hulk: Defensora de Heróis segue apostando em participações especiais a cada novo episódio e, embora ainda não tenhamos visto o Demolidor em ação, o sexto capítulo da temporada introduziu outro herói dos quadrinhos no Universo Cinematográfico da Marvel (MCU, na sigla em inglês): o infame Senhor Imortal.

Na série, ele é um dos clientes da GLK&H, o escritório de advocacia em que Jennifer Walters (Tatiana Maslany) trabalha. Interpretado pelo ator David Pasquesi, o personagem é um dos poderosos existentes por aí e que, por causa de sua condição e habilidade, acabou sendo processado por suas quatro ex-mulheres e seu ex-marido. Tudo porque ele usava o fato de ser imortal para escapar dos relacionamentos.

Embora não pareça, esse senhor é um vingador nos quadrinhos (Imagem: Reprodução/Marvel Studios)
Embora não pareça, esse senhor é um vingador nos quadrinhos (Imagem: Reprodução/Marvel Studios)

Só que, mais do que ser uma piada para a série, o Senhor Imortal é um personagem que realmente existe nos quadrinhos da Marvel e que chegou a fazer parte dos Vingadores — ou pelo menos uma das filiais da equipe.

Origem trágica

Nas HQs, o Senhor Imortal surge nas páginas de West Coast Avengers #46, publicada originalmente em 1989. No Brasil, essa história chegou em Capitão América #166, de 1993. A história é escrita por John Byrne — autor que teve uma passagem bem marcante pela própria Mulher-Hulk e pelos X-Men — e apresenta a trágica história do garoto que não podia morrer.

Trágico porque, ao contrário do que a série apresenta, os primeiros contatos de Craig Hollis com seus poderes não são tão legais assim. Ele descobre ser incapaz de morrer a partir de uma tentativa de suicídio, o que já mostra o tom mais sombrio de sua origem.

Mais do que ser imortal, ele já tentou morrer algumas vezes (Imagem: Divulgação/Marvel Comics)
Mais do que ser imortal, ele já tentou morrer algumas vezes (Imagem: Divulgação/Marvel Comics)

A explicação para sua imortalidade sempre foi um tanto vaga. Há quem o considere um mutante, embora ele próprio diga fazer parte de outra raça, o Homo supreme — a etapa final da evolução. Ao mesmo tempo, há toda uma raiz cósmica e mística para sua vida eterna.

Quando Craig nasceu, ele foi visitado por uma entidade chamada Deathurge, que atuava quase como o ceifador do imaginário popular, sendo a responsável por levar as almas das pessoas para o além-vida. O ser aparece para levar a mãe do herói e, em um último esforço, ela faz com que a criatura proteja seu filho — o que ela aceita.

Assim, ele cresce acompanhado por esse ser que ninguém é capaz de enxergar. E, enquanto todos acreditam se tratar apenas de um amigo imaginário, Deathurge passa a testar a resiliência do garoto ao incentivá-lo a fazer coisas cada vez mais arriscadas. É numa dessas que ele põe fogo em casa, o que acaba matando seu pai.

Apesar do tom trágico, as histórias do Senhor Imortal sempre foram mais descompromissadas e até zoadas (Imagem: Reprodução/Marvel Comics)
Apesar do tom trágico, as histórias do Senhor Imortal sempre foram mais descompromissadas e até zoadas (Imagem: Reprodução/Marvel Comics)

Órfão, Craig é adotado por uma nova família abusiva. Após um longo período de maus-tratos e perder seu amor de infância, se jogou de um prédio e descobriu da forma mais inusitada — e dolorosa — que era imortal.

Os Vingadores Centrais

Ao descobrir ter poderes, Craig decide enveredar para a vida heróica, assumindo a identidade de Senhor Imortal. Só que, já na primeira missão, é morto ao tentar impedir um assalto a banco.

Acredite ou não, isso é uma formação dos Vingadores (Imagem: Reprodução/Marvel Comics)
Acredite ou não, isso é uma formação dos Vingadores (Imagem: Reprodução/Marvel Comics)

A saída então é formar um time para que o trabalho em equipe tivesse resultados mais proveitosos. Foi quando, após publicar um anúncio no jornal, reuniu figuras obscuras da Marvel e montou os Vingadores Centrais. Ao lado de personagens como Chapa, Dinah Soar, Porta, Grande Berta e do Gavião Arqueiro e Harpia, passou a atuar nessa subdivisão dos Heróis Mais Poderosos da Terra responsável pelo interior dos Estados Unidos.

E, como você bem pode imaginar, tanto o Senhor Imortal quanto os próprios Vingadores Centrais nunca foram lá muito relevantes. A equipe até durou um tempo, mas sempre com histórias menores e sem grandes arcos ou momentos memoráveis.

O ponto mais marcante de sua trajetória heroica foi justamente quando o grupo se encerrou e Craig passou a questionar o quanto a imortalidade poderia ser algo terrível, principalmente quando todos aqueles que amava morriam e o deixavam para trás.

Os Vingadores Centrais sempre foram um núcleo mais cômico dentro da Marvel (Imagem: Reprodução/Marvel Comics)
Os Vingadores Centrais sempre foram um núcleo mais cômico dentro da Marvel (Imagem: Reprodução/Marvel Comics)

É quando ele se desentende com Deathurge e descobre a verdade sobre tudo: como Homo supreme, seu destino é viver até o fim dos tempos para descobrir o segredo que se esconde no final da existência. Assim, todas as perdas que ele passou ao longo dos anos serviram apenas para prepará-lo para esse grande momento.

Apesar do tom quase profético da coisa, isso não foi o suficiente para tirar o Senhor Imortal da irrelevância. Assim, ele seguiu quase que inteiramente esquecido pela Marvel, aparecendo aqui e ali em algumas sagas, mas sempre com um papel bastante secundário — para não dizer quaternário mesmo.

O Senhor Imortal no MCU

E o que significa a entrada do Senhor Imortal no MCU? Para ser bem honesto, nada. Por ser esse personagem irrelevante nos quadrinhos, ele é perfeito para ser aproveitado em uma série de comédia como Mulher-Hulk: Defensora de Heróis, que brinca justamente com os absurdos legais de um mundo com super-seres.

A primeira demonstração de poder do Senhor Imortal na série é igual aos quadrinhos: se jogando de um prédio (Imagem: Reprodução/Marvel Studios)
A primeira demonstração de poder do Senhor Imortal na série é igual aos quadrinhos: se jogando de um prédio (Imagem: Reprodução/Marvel Studios)

Como Craig Hollis é irrelevante nas HQs, não há por que pensar que isso vai ser diferente no MCU. E é até melhor assim. A sua participação no episódio é ótima por trazer situações que são impensáveis nos gibis, mas que fazem todo o sentido quando isso se aproxima do mundo real.

Assim, é bem provável que não vejamos mais o Senhor Imortal nem mesmo em Mulher-Hulk. Como aconteceu com outras participações especiais, como o próprio Wong (Benedict Wong) e Donny Blaze (Rhys Coiro), ele é a piada de um episódio só — e está de bom tamanho.

Mulher-Hulk: Defensora de Heróis está disponível no Disney+.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: