O que acontece com o corpo durante os meses (e após) da gravidez?

O que acontece com seu corpo durante a gravidez (Foto: Getty Images)
O que acontece com seu corpo durante a gravidez (Foto: Getty Images)

Por Natália Leão (@natileao_)

O que acontece do lado de fora do corpo de uma grávida é bastante óbvio: a barriga e os seios crescem, mãos e pés incham. Mas durante esse período, muitas outras coisas estão mudando do lado de dentro - algumas que elas mesmo sabem.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

“A gestação é um período que envolve mudanças drásticas do funcionamento do corpo de mulher como um todo,” explica a ginecologista e obstetra Dra. Michelle Nagai, da Clínica Vida Bem-Vinda.

A médica explica o que acontece com o corpo da mulher mês a mês, da descoberta do bebê até depois do seu nascimento.

1º mês - Menstruada ou grávida?

As maiores alterações ocorrem em ambiente uterino, como a nidação, que é a implantação do embrião no útero da mulher. Isso pode causar um discreto sangramento vaginal, muitas vezes confundido com menstruação.

Primeiro mês de gravidez tras os sintomas clássicos (Foto: Getty Images)
Primeiro mês de gravidez tras os sintomas clássicos (Foto: Getty Images)

O pré-natal deve ser iniciado o quanto antes. Durante essa fase, ainda não se pode observar o embrião no ultrassom, o saco gestacional aparece só por volta da quarta semana.

2º mês - Os primeiros sintomas

Ocorre um aumento significativo dos hormônios femininos e daqueles relacionados à gestação. Nessa hora, aparecem os sintomas clássicos de gravidez, como náuseas, vômitos, sonolência, dores nas mamas e cansaço.

Leia também: É liberado fazer exercícios físicos durante a gravidez?

Após a sexta semana, é possível ver o embrião com batimento cardíaco durante o exame de ultrassonografia.

3º mês - Emoções à flor da pele

Durante essa fase os sintomas clássicos de gravidez se mantêm e podem vir acompanhados por alterações emocionais e aumento do volume das mamas. Prepare-se para crises de choro (ou acessos de fúria).

4º mês - Onde foi para meu sono?

O útero materno já poderá ser palpado, entre a pelve e o umbigo. Os sintomas de gravidez diminuem de forma progressiva, porém alterações do sono podem aparecer, como dificuldade para começar a dormir e despertares noturnos. Nessa fase a mulher começa a ter uma maior demanda de ferro. Algumas já conseguem sentir movimentação do bebê.

5º mês - O bebê está aqui

A partir do quinto mês, é possível ver (e sentir) o bebê dentro (Foto: Getty Images)
A partir do quinto mês, é possível ver (e sentir) o bebê dentro (Foto: Getty Images)

A movimentação do bebê se torna mais perceptível para a mãe. Com 20 semanas o útero chegará na altura da cicatriz umbilical. Azia e sensação de “empachamento” começam a ser frequentes pelo relaxamento do esfíncter esofágico e alteração na posição do estômago

6º mês - Quase pronto

Os órgãos fetais já estarão formados, porém imaturos. Essa é a fase ideal para a realização da ultrassonografia morfológica, onde é possível identificar grande parte das malformações fetais. É preciso ter atenção especial para sintomas urinários, pois o risco de infecção de urina aumenta nessa fase.

7º mês - O corpo no limite

A gestante começa a sentir sintomas de sobrecarga física, como inchaço, cansaço e limitações de movimentos. As dificuldades durante o sono podem piorar de forma progressiva até o nascimento, devido ao aumento da barriga.

8º mês - O bebê e o ambiente externo cada vez mais conectados

Nos últimos meses de gravidez, o peso do bebê gera desconfortos à mãe (Foto: Getty Images)
Nos últimos meses de gravidez, o peso do bebê gera desconfortos à mãe (Foto: Getty Images)

As interações do bebê com o ambiente externo passam a se tornar mais perceptíveis devido à audição já elaborada. Durante essa fase, inchaços, principalmente em mãos, pernas e pés passam a ser mais frequentes, devido ao peso do útero sobre a circulação venosa. A azia também fica mais intensa.

9º mês - Treinar para a hora H

O útero estará grande e algumas contrações de treinamento começam a ser perceptíveis, mesmo que a mulher ainda não esteja em trabalho de parto. O bebê estará se preparando para a posição do parto, o que pode causar cólicas. É hora de se preparar para o grande dia.

Após o Parto

Após uma semana o útero já estará com metade do tamanho do dia do nascimento. E com 4 semanas, retornará ao tamanho habitual. Em caso de parto normal, a vagina passa a retomar seu pregueamento e dimensões habituais lentamente.

É preciso tomar cuidado para evitar que as mamas fiquem cheias e endurecidas, amamentando e esvaziando com frequência.

Logo após o parto ocorre uma perda de 5 a 6 kg de peso, atribuído ao útero e bebê. E de 2 a 3 kg decorrentes da melhora do inchaço. A maioria das mulheres levam em torno de 6 meses para chegar a um peso próximo ao período antes da gravidez, mas esse período é variável.

Assista a seguir: Inspire-se nos vestidos de gestante de Ticiane Pinheiro

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos