MP quer destinar à educação R$ 1 milhão pago a Wesley Safadão e Xand Avião no RN

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 30.10.2015 - Retrato do cantor Wesley Safadão no hotel Maksoud Plaza, em São Paulo. (Foto: Fabio Braga/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 30.10.2015 - Retrato do cantor Wesley Safadão no hotel Maksoud Plaza, em São Paulo. (Foto: Fabio Braga/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Ministério Público do Rio Grande do Norte pediu que a Justiça cancele shows de Wesley Safadão e Xand Avião em Mossoró, cidade a 288 quilômetros de Natal, marcados para as próximas semanas durante uma celebração junina paga pela prefeitura.

O MP quer que os cachês dos cantores, que somam R$ 1 milhão, sejam destinados à Educação para que a prefeitura possa contratar profissionais para atender aos alunos com deficiência da rede pública de ensino do município.

O pedido, realizado nesta terça-feira (31) por meio de uma ação civil pública, ocorre em meio a uma polêmica em torno de cachês milionários pagos por prefeituras Brasil afora a cantores do sertanejo, sobretudo a Gusttavo Lima, o pivô da discussão, com três shows investigados pelo MP em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Roraima.

Wesley Safadão, com show marcado para o dia 9, cobrou R$ 600 mil da Prefeitura de Mossoró. Já Xand Avião, que deverá se apresentar no dia 16, tem um cachê de R$ 400 mil.

A assessoria de imprensa de Wesley Safadão diz que está analisando o caso. A reportagem tentou sem sucesso localizar os representantes de Xand Avião e da Prefeitura de Mossoró. O texto será atualizado assim que a reportagem receber os posicionamentos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos