Mourão exonera assessor após vazamento de conversa dele com chefe de gabinete de deputado

Ana Paula Ramos
·2 minuto de leitura
Brazil's Vice President Hamilton Mourao gestures during an inauguration ceremony of the new Health Minister Eduardo Pazuello (not pictured) at the Planalto Palace in Brasilia, Brazil, September 16, 2020. REUTERS/Adriano Machado
Hamilton Mourão exonera assessor depois de vazamento de conversas (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

O vice-presidente Hamilton Mourão anunciou que vai exonerar o assessor Ricardo Roesch Morato Filho depois que conversas dele foram divulgadas pelo site O Antagonista.

Nas conversas entre o assessor e o chefe de gabinete de um deputado federal, ele cogita a hipótese de Mourão assumir a presidência no lugar de Jair Bolsonaro.

Leia também

O nome do chefe de gabinete e do parlamentar não foram divulgados, apenas o diálogo por meio de um aplicativo de mensagens.

“-Tudo bem irmão?

- Fala Ricardo, tudo excelente!

- Quando deputado quiser agendar com Mourão só avisar.

- Opa! Obrigado. Possivelmente ele vai querer sim.

- Muito trabalho aí?

- Sempre tem.

- Precisamos tomar um café mais reservadamente.

- Bora ué.

- Eu tenho conversado com os assessores de deputados mais próximos é bom sempre estarmos preparados.

- Putz, preparados para que?

- Nada demais articulação normal mesmo.

Sabe que Mourão dividiu a ala militar.

Antes, Heleno dominava agora estão divididos - capitão está errando muito na pandemia. General Mourão é mais preparado e político. Você sabe disso.

- Cara - não posso ter esse tipo de conversa - chefe não iria gostar.

- Mas vamos nos falando.

- Relaxa.

No fim da tarde, o vice-presidente condenou a atitude de Ricardo Roesch Morato Filho e anunciou que o assessor seria exonerado.

"A conversa houve. É algo que me deixou extremamente — vamos dizer assim — chateado porque o único patrimônio que eu tenho é a minha honra. E a minha honra está ligada à lealdade. São valores que eu não abro mão. Posso algumas vezes discordar de algumas coisas do presidente Bolsonaro, mas jamais vou trabalhar contra ele. E esse meu assessor avançou um sinal totalmente fora do foco, fora daquilo que são as minhas orientações. Como consequência, ele será exonerado brevemente", afirmou Mourão.

O vazamento da conversa azedou ainda mais o clima entre Mourão e o presidente Jair Bolsonaro. Nesta semana, Bolsonaro se irritou com declaração do vice de que Ernesto Araújo poderia deixar o cargo de ministro das Relações Exteriores em uma possível reforma ministerial.

Em recado direto a Mourão, o presidente afirmou nesta quinta-feira (28) que cabe a ele escolher e demitir ministros, chamou seu vice de "palpiteiro" e disse que quem quiser escolher os membros do primeiro escalão do governo deve se candidatar nas próximas eleições presidenciais.