Mostra reúne dinossauros e passeio na Lua em obras de arte com realidade virtual

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS0 - Viajar pelo espaço, ver uma cachoeira se derramar ou passear por uma ilha deserta são coisas que poderiam acontecer na vida real. Mas, no Farol Santander, esses eventos são parte de uma realidade virtual criada por nomes de peso das artes visuais.

O escultor britânico Antony Gormley pesca quem assiste a "Lunático" de uma praia isolada. De lá, o público é levado da Terra, com os óculos de realidade virtual, e parte para um percurso pelo espaço --passeio que, aliás, parece ter virado moda entre bilionários.

Num plano mais terrestre, o dinamarquês Olafur Eliasson reconstrói uma cortina de água em que um arco-íris só aparece quando o espectador se posiciona num lugar específico da imagem em 360 graus, com movimentos feitos por um controle.

"A Outra Realidade", organizada por Marcello Dantas, abarca quatro trabalhos imersivos em realidade virtual -além desses dois, há obras de Laurie Anderson e da dupla Motta e Lima. São todos universos paralelos à vida real, offline, em que os visitantes podem adentrar.

"Existe uma dimensão do mundo da arte, dos artistas que estão ativos hoje, que está criando dentro de uma outra realidade, ou seja, que está criando obras que não são apreciadas com os nossos mecanismos normais de percepção", diz Dantas.

Para apresentar essa produção, era preciso criar um ambiente dedicado exclusivamente aos trabalhos feitos com essa tecnologia, e não pôr óculos num espaço expositivo comum de museu, afirma o curador. É um espaço, portanto, um tanto árido externamente, sem grandes atrativos visuais fora dos óculos de realidade virtual. Mas a dinâmica acaba ficando mal resolvida.

Quando a repórter foi ao espaço, o público aguardava para começar a transitar entre as obras num espaço fechado sem distanciamento adequado. E, apesar de haver uma espera inicial para entrar na mostra, cada uma das quatro paradas exigia outra espera, o que tornava o percurso fragmentado e um tanto cansativo.

Marcello Dantas lembra que essa ainda é uma tecnologia um tanto precária, que exige grandes computadores, cabos e aparelhos pesados para funcionar. "Mas como conceito é algo muito transformador a ideia de que você pode inventar todos os detalhes de um novo mundo", afirma. "É a possibilidade de criar outros lugares e de poder revogar leis como a gravidade, como o fluxo de energia, de restabelecer todos os critérios que governam o mundo atual."

Os universos etéreos do espaço sideral ou de uma natureza absolutamente intocada são comuns nessas obras. Além de Gormley e Eliasson, Laurie Anderson e Hsin-Chien Huang também navegam por uma atmosfera sem gravidade com esqueletos de dinossauros, fitas de DNA e constelações em "Para a Lua".

Ainda que a criação dessas novas realidades se dê principalmente nesse cruzamento do que é high-tech e primordial, a dupla Motta e Lima indicam que a gênese de algo novo pode acontecer aqui mesmo.

O público que chega para ver passa a ser visto em "Memória Coletiva", que reproduz nos óculos a mesma sala em que o espectador está, mas insere várias pessoas que tomam conta do espaço aos poucos. No meio daquela multidão, quem parece ser a obra é o público, que é encarado, analisado e quase tocado por esse grupo que vai se adensando, até deixar a sala poucos minutos depois.

Dantas lembra nessa mostra que o conceito de realidade virtual, aliás, não é fruto de tecnologia como a gente conhece, ancorada num mundo virtual. O termo aparece pela primeira num texto do dramaturgo Antonin Artaud, escrito às vésperas da Segunda Guerra Mundial.

"É uma criação do teatro, da literatura. A ideia de você acessar esses outros mundos parte de um anseio humano sobre alguma espécie de esgotamento", diz ele. A equação de descontentamento parece se repetir no momento de pandemia, em que a vida ficou enquadrada nas telas de computador e quando é oportuno imaginar outros mundos.

A OUTRA REALIDADE

Quando Até 16/1/2022. Ter. a dom.: 9h às 20h

Onde No Farol Santander - r. João Brícola, 24, Centro, SP

Preço R$ 25

Classificação Livre

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos