Com recorde de diagnósticos em 24 horas, Brasil soma 438.238 casos confirmados de covid-19

Marcella Fernandes

Com o recorde de 26.417 diagnósticos em 24 horas, o Brasil acumula 438.238 casos confirmados do novo coronavírus. Os dados são do balanço publicado nesta quinta-feira (28) pelo Ministério da Saúde. De acordo com o levantamento, o total de mortes chegou a 26.754. São 1.156 a mais do que no dia anterior. Desses óbitos, 539 ocorreram nos últimos 3 dias, de acordo com a pasta.

A expectativa é que o Brasil ultrapasse a Espanha, hoje com 27.119 mortes confirmadas pela covid-19 e se torne o quinto mais com mais vítimas da pandemia, de acordo com o mapeamento do Centro de Recursos de Coronavírus da Universidade Johns Hopkins.

A doença já causou 358 mil óbitos no mundo e cerca de 5,7 milhões de casos confirmados, de acordo com dados atualizados nesta quinta.

No Brasil, o maior número de infecções está no estado de São Paulo, com 95 mil casos e 6.980 mortes. Em seguida, aparece Rio de Janeiro, com 4.856 mortes, Ceará (2.733), Pará (2.704) e Pernambuco (2.566).

Os dados mais recentes reforçam o agravamento da crise sanitária no País. Por 6 vezes, o total de mortes confirmadas de um dia para o outro foi acima de mil.

A primeira vez em que isso ocorreu foi em 19 de maio, com 1.170 óbitos confirmados em 24 horas O número também foi um marco na evolução diária da pandemia quando comparada a outros países. Superou o total de 919 mortes confirmadas de um dia para o outro no fim de março na Itália, um dos principais epicentros na Europa da crise sanitária e um dos cenários mais dramáticos da pandemia até então.

Dois dias depois, na quinta-feira (21), foi registrado o recorde de confirmações de vítimas da doença em um intervalo de 24 horas: 1.188.

Na segunda-feira (25), foi atingido um novo marco. O Brasil superou os Estados Unidos no registro diário de mortes: 807 novos óbitos confirmados pelo Ministério da Saúde no mesmo dia em que o Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC) americano incluiu 620 mortes no balanço...

Continue a ler no HuffPost