Morre Sergio Paulo Rouanet, criador da lei de incentivo à cultura, aos 88 anos

Sergio Paulo Rouanet era formado em ciências jurídicas e sociais, além de professor e ensaísta. (Foto: Divulgação/Companhia das Letras)
Sergio Paulo Rouanet era formado em ciências jurídicas e sociais, além de professor e ensaísta. (Foto: Divulgação/Companhia das Letras)

Sergio Paulo Rouanet, intelectual de vasta carreira que criou a lei que leva seu sobrenome durante sua passagem pelo governo Collor como secretário da Cultura, morreu neste domingo aos 88 anos.

Formado em ciências jurídicas e sociais, o professor e ensaísta realizou doutorado em ciência política e deu aulas no Instituto Rio Branco. Ele também ocupava, há 30 anos, a cadeira de número 13 da Academia Brasileira de Letras.

Rouanet foi diplomata de carreira por décadas, tendo sido embaixador na Dinamarca, cônsul-geral em Zurique, na Suíça, e ocupado postos na Organização das Nações Unidas, na Organização dos Estados Americanos e chefias de departamento no Itamaraty, em Brasília, antes de integrar o governo federal.

Em 1991, o professor foi convidado por Fernando Collor de Mello para ocupar a Secretaria Nacional de Cultura, que tinha status de ministério à época, cargo no qual ficou até o ano seguinte.

A passagem breve foi marcada por uma das mudanças mais significativas no cenário cultural brasileiro, a criação da Lei de Incentivo à Cultura, que serviu de estímulo financeiro para a realização de projetos artísticos em todos os campos no Brasil e sofreu reforma durante o governo Bolsonaro, quando deixou de levar o nome de seu criador.

da Folhapress

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos