Morre o cartunista Nani, criador da tirinha Vereda Tropical, de Covid-19, aos 70

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O escritor e cartunista Nani, autor da tirinha Vereda Tropical, morreu nesta sexta (8), aos 70 anos, em decorrência de complicações da Covid-19.

Segundo a sua viúva, Inez Lucas, ele ficou cerca de uma semana internado em um hospital em Belo Horizonte, mas tinha acabado de passar por três transplantes de fígado e não aguentou. Nani tomou as duas doses da vacina contra o coronavírus.

Nani era o nome artístico de Ernani Diniz Lucas. Mineiro de Esmeraldas, na região metropolitana de Belo Horizonte, iniciou a carreira na cidade na década de 1970, publicando charges no jornal O Diário. Logo depois, se mudou para o Rio de Janeiro, onde morava até o ano passado.

O cartunista colaborou com alguns dos principais veículos de imprensa brasileiros, como o jornal O Globo e as revistas O Pasquim, Mad e piauí. Também atuou como escritor, roteirizando os programas de Chico Anysio "Chico Total" e "Escolinha do Professor Raimundo" e os humorísticos "Casseta e Planeta", "Sai de Barro" e "Zorra Total".

Uma de suas criações mais célebres foi a tirinha Vereda Tropical, publicada em vários jornais. O quadrinho satirizava o cotidiano político e social do país.

Cartunistas de sua época e de gerações mais jovens, como Adão e André Dahmer, lamentaram a sua morte nas redes sociais. "Obrigada por tanta graça que deixou pra gente", escreveu Laerte.

Além da mulher, Nani deixa dois filhos, Juliano e Danilo Silva Lucas, e uma neta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos