Morre o bailarino Patrick Dupond, que foi estrela e diretor da Ópera de Paris

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O francês Patrick Dupond, que foi um dos principais dançarinos e depois diretor do balé da Ópera de Paris, morreu no último dia 5, aos 61 anos. A informação foi revelada pela mulher de Dupont, Leila da Rocha. Segundo ela, o dançarino sucumbiu a uma "doença devastadora", sem entrar em mais detalhes. A morte de Dupont foi muito lamentada na França, onde ele era uma estrela adorada para além do mundo do balé. Dupond nasceu em Paris em 1959, e ingressou na escola de dança da Ópera de Paris em 1970. Em 1975, ele já fazia parte do corpo de balé da Ópera e, um ano depois, ganhou a medalha de ouro no Concurso Internacional de Varna, na Bulgária, sendo o primeiro francês a levar o prêmio. Em 1980, aos 21 anos, ele se tornou a principal estrela do balé da Ópera de Paris. Nas décadas de 1980 e 1990, Dupond viveu seu auge, ficando conhecido internacionalmente, se apresentando em países como Estados Unidos e Japão. Entre 1990 e 1995, ele acumulou as funções de chefe e dançarino na Ópera de Paris. No fim dos anos 1990, chegou a ser demitido por "insubordinação e indisciplina", segundo ele mesmo, por ter participado do júri do Festival de Cannes sem a anuência dos chefes. Ele depois acabou retornando à Ópera. Em 2000, Dupond foi vítima de um acidente grave de carro, sofrendo 134 fraturas e quase ficando impossibilitado de voltar a dançar. O bailarino também atuou no cinema, no filme "Dancing Machine", de Alain Delon, de 1990, e foi jurado de programas de TV na França. Ele passou os últimos anos de vida na comunidade de Soissons, no norte da França, atuando pela escola de dança da companheira, Leila da Rocha.