Morre Gilberto Chateaubriand, dono de 8 mil obras do MAM do Rio

*ARQUIVO* SÃO PAULO/SP-BRASIL,03/09/2012 - Gilberto Chateaubriand na Inauguração da exposição ?Adriana Varejão: Histórias às margens? no MAM .(Foto: Zanone Fraissat - Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO/SP-BRASIL,03/09/2012 - Gilberto Chateaubriand na Inauguração da exposição ?Adriana Varejão: Histórias às margens? no MAM .(Foto: Zanone Fraissat - Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O colecionador Gilberto Chateaubriand, dono de mais de 8 mil obras de arte por trás do Museu de Arte Moderna, o MAM do Rio, morreu nesta quinta-feira (14) aos 97 anos por causas naturais. Ele se encontrava em sua fazenda, no interior do Rio de Janeiro, e deixa um filho único, Carlos Alberto Gouvêa Chateaubriand.

Nascido em Paris em 1925, Gilberto Francisco Renato Allard Chateaubriand Bandeira de Mello era filho da francesa Jeanne Paulette Marguerite Allard com Assis Chateaubriand, um dos maiores empresários das comunicações da história do Brasil, dono dos Diários Associados e fundador do MASP, em São Paulo.

Notório conhecedor das artes plásticas, seu acervo continha trabalhos dos maiores artistas brasileiros e virou livro em 2012. Entre os nomes presentes no volume estavam Alberto da Veiga Guignard, Anita Malfatti, Vieira da Silva, Pancetti e Iberê Camargo.

O colecionador deixou sua marca na história do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, uma das principais instituições divulgadoras da arte moderna e contemporânea do Brasil. Em 1993, o museu incorporou, em regime de comodato, a coleção Gilberto Chateaubriand, que conta com cerca de 4.000 obras da arte brasileira moderna e contemporânea.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos